Pegou pesado | Fábio Campana

Pegou pesado

O Conselho de Administração da ParanaPrevidência virou campo de batalha entre forças antagônicas que habitam o mesmo governo Requião.

O bicho pegou. E pegou pesado. O presidente do conselho, Sérgio Botto de Lacerda, encaminhou pareceres do diretor-jurídico, Francisco Alpendre, sobre a aposentadoria e a isenção de imposto de renda do promotor Luís Celso de Medeiros, que chegou à comoção.

Mas o alvo principal era mesmo o Ouvidor Luiz Carlos Delazari, que não estava presente mas sofreu o mesmo julgamento, que pode levar ao corte e a devolução das isenções recebidas. Além dos comentários desairosos sobre a isenção feitas por Botto de Lacerda.

A propósito disso, o Ouvidor Delazari emitiu nota pública que segue:

1) Pela Lei Federal 7.713/88, artigo 6º, os aposentados portadores de cardiopatia grave – o que é meu caso – são isentos do pagamento de Imposto de Renda. A decisão alcança outras moléstias ali relacionadas e é tomada sempre após análise de junta médica oficial.

2) No Paraná existem centenas de servidores públicos isentos do Imposto de Renda sobre sua aposentadoria que retornaram à atividade remunerada, no serviço público ou empresa privada. Nem por isso violaram a Lei.

3) Não me preocupa qualquer exame da minha aposentadoria. Diga-se de passagem, ela é assunto para a Receita Federal, que a concedeu.

4) A exploração do assunto é uma aleivosia – nova diatribe factóide e inócua movida por ódios pessoais.

O conselheiro Geraldo Serathiuk disse que espera que a revisão não fique apenas nesses dois casos, mas atinja os 4.300 que usam da lei de isenção do imposto de renda. E que tudo seja feito sem clima emocional de conflitos pessoais, mas em defesa do interesse público.


Um comentário

  1. Oliveira
    quinta-feira, 11 de outubro de 2007 – 18:13 hs

    Em meu rápido comentário anteior à nota O BICHO VAI PEGAR, ainda desconhecendo o que havia sido discutido e deliberado na reunião do Conselho de Administração da ParanaPrevidencia, ponderei:
    Botto e Delazari. Ambos ocupantes de cargos em comissão. Ambos, portanto, homens de confiança do Governador. O primeiro, no entanto, tão logo assume o cargo de Presidente do Conselho de Administração da ParanaPrevidência, anuncia que irá investigar a legitimidade dos ganhos do segundo, que, por ironia, é quem, na função de Ouvidor e Corregedor do estado, deve apurar e investigar todos os fatos passíveis de irregularidades no âmbito da administração estadual. Em quem, afinal, o Governador confia mais?
    Pois bem, e agora?
    Segundo noticiado, embora tendo como alvo principal Medeiros e Delazari, Botto colocou em suspeição órgãos federais e estaduais e todos os demais aposentados do estado que obtiveram a isenção do desconto do IR.
    Delazari, por sua vez, limitou-se a lançar uma nota oficial com esclarecimentos que poderia muito bem ter prestado quando, na escolinha, o Governador teceu comentários jocosos sobre a aposentadoria de seu colega Medeiros.
    O que resta evidente, enfim, é que, diante desse quadro atual, com dois de seus auxiliares trocando publicamente pesadas farpas, tergiversar é o que o Governador não poderá mais.
    A exoneração de um, ou dos dois, parece inevitável.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*