Pegou mal | Fábio Campana

Pegou mal

Hoje, terça-feira 2 de outubro, quase nada na Assembléia. Mas algumas declarações de Rubens Ghilardi, presidente da Copel, ecoam e repercutem entre os deputados, sobretudo os de oposição. O titular da Copel afirmou que “se não tem mais nada no setor elétrico, claro que nós vamos olhar outros empreendimentos que não precisam ser efetivamente estradas ou energia, pode ser telefonia”. Os deputados de oposição analisam que Ghilardi está justificando a opção preferencial da Copel em disputar pedágios. No entanto, outra declaração do titular da Copel é, para a oposição, no mínimo, comprometedora: “A nossa concessão pode, em 2015, ter um problema. Ou as usinas podem ter, na frente, um problema de não renovar a concessão ou ter que disputar a concessão”. De acordo com os oposicionistas, só faltou Ghilardi sugerir a privatização da Copel. “Ou, ele, Ghilardi, está fazendo o ‘jogo’, sempre ‘jogado’, do Requião”, carimba um deputado que não quer se identificar, mas faz oposição todo dia.


Um comentário

  1. Paula Crasi
    terça-feira, 2 de outubro de 2007 – 18:11 hs

    Não entendi essa história de Copel cobrando pedágio. E aquela máxima, cada macaco no seu galho?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*