O bicho vai pegar | Fábio Campana

O bicho vai pegar

O bicho vai pegar na reunião de hoje do Conselho de Administração da ParanaPrevidência. Serão analisadas aposentadorias e isenções de impostos de Luís Celso de Medeiros e Luís Carlos Delazari conforme o estabelecido em reunião anterior, diz Francisco Alpendre, o Diretor Jurídico que procura seguir as regras.

Medeiros é o porta-voz do Ministério Público no tiroteio com a ParanaPrevidência e deve suportar chumbo pesado do pessoal alinhado ao governo.

Delazari é membro do governo, mas desafeto juramentado do atual presidente do Conselho, Sérgio Botto de Lacerda. Também não escapa.

Para evitar o confronto, o recém empossado conselheiro Geraldo Serathiuk tenta a saída à francesa. Anunciou que vai propor que a situação dos dois membros do Ministério Público só entre na pauta depois de analisados todos os demais processos de aposentadoria. Pelas informações preliminares, terá dificuldades para exercer o papel de conciliador.

Para que se tenha uma idéia do clima de tensão, Botto de Lacerda se disse perplexo diante da afirmação do diretor-geral da Fazenda, Nestor Bueno, de que a isenção de imposto de renda não é assunto dos juristas da ParanaPrevidência, pois se trata de tributo federal.

Sustenta Botto de Lacerda que a questão é do interesse do Estado, sim senhor, pois a isenção do imposto de renda reduz a parte que cabe ao Paraná dos impostos federais. Ora, pois, quer a revisão de todas as isenções do gênero, inclusive a de Nestor Bueno.

Nos bastidores, a certeza de que vai sobrar constrangimento para membros do governo. Resta saber o que pensa o governador Requião, que não moveu um dedo para proteger um de seus mais fiéis e antigos escudeiros, o Ouvidor Delazari.


Um comentário

  1. Oliveira
    quarta-feira, 10 de outubro de 2007 – 18:15 hs

    Botto e Delazari. Ambos ocupantes de cargos em comissão. Ambos, portanto, homens de confiança do Governador. O primeiro, no entanto, tão logo assume o cargo de Presidente do Conselho de Administração da ParanaPrevidência, anuncia que irá investigar a legitimidade dos ganhos do segundo, que, por ironia, é quem, na função de Ouvidor e Corregedor do estado, deve apurar e investigar todos os fatos passíveis de irregularidades no âmbito da administração estadual. Em quem, afinal, o Governador confia mais?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*