Maracangalha | Fábio Campana

Maracangalha

O governador Requião pilheriou com o secretário do Meio Ambiente. Chamou a atenção para o terno que Rasca traja por ocasião da visita da ministra Marina Silva. Requião obrigou-o a vir assim vestido nas próximas terças-feiras. “Mal vestido aqui, só o governador. Os outros não podem”, disse Requião, em tom de galhofa. Rasca engoliu seco, meio constrangido, e lembrou o Duce ser orientação dele que os convidados a utilizarem o microfone principal estivessem bem vestidos.

Seria esse o Requião da Carta de Puebla? Um governante que proíbe em suas reuniões abertas de governo a entrada dos mais humildes, tal qual o juiz do interior que parou uma audiência por conta de uma das partes usar chinelas? Não é só a roupa que faz o monge. Também o que é dito, da forma como é verbalizada, entra para a história como documento.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*