Bravo, Sandra | Fábio Campana

Bravo, Sandra

Sandra Turra despediu-se ontem dos funcionários da Ceasa e explicou as razões que a levaram a deixar o cargo de diretora administrativo-financeira. Entre elas, os desvios, a falta de licitação, corrupção herdada da gestão anterior e a exigência de que assinasse o que ela sabe que não é legal.


Um comentário

  1. Oliveira
    quinta-feira, 25 de outubro de 2007 – 15:56 hs

    Sandra, desde jovem, sempre esteve associada à imagem de uma mulher corajosa, decente e de conduta pública coerente com as idéias que defendeu. Idéias progressistas, humanistas e de avanço social.
    Idéias, aliás, iguais àquelas com as quais ela e tanto(a)s outro(a)s, meio que quixotescamente, saíam às ruas ao tempo da campanha para a eleição de José Richa e, posteriormente, quando da eleição para prefeito do hoje governador.
    Felizmente ainda há pessoas dignas, idealistas e com um profundo senso ético que merecem nosso respeito e admiração.
    Pena – não é mesmo, Sandra? – esse gostinho amargo de frustração, desencanto e tristeza que fica na garganta!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*