A culpa é do orçamento | Fábio Campana

A culpa é do orçamento

Requião mudou nuanças no discurso contra o Ministério Público. Alguém deve tê-lo alertado que extrapolara o limite nas últimas exibições da “Hora do MP”. O governador comparou os gastos dos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul com os poderes Legislativo e Judiciário. A demonstração deixou claro que nós investimos menos, somente. A maior parte do bolo fica com o Executivo.

Depois comparou os gastos com o Ministério Público nos três estados. Novamente, quem dispõe de menos recursos para trabalhar é o MP paranaense, a quem Requião chama de marajás. O governador chamou a atenção para os gastos com a folha de pagamento, que no Rio Grande do Sul chega a 116% do orçamento.

Segundo Requião, se ele não conter as despesas do MP, o Paraná terá o mesmo destino. E ponto. A culpa pelos seus pitis é o orçamento apertado do estado, não a insistência do MP em acabar com o nepotismo no Paraná. A culpa é do orçamento, dos outros órgãos e poderes do estado paranaense — nomear parentes, amigos, queridinhos e assemelhados em cargos de comissão de natureza técnica nada tem a ver com isso. Quebrar contratos também não. A opção por não negociar dívidas, e discutí-las na Justiça com o intuito de repassá-las aos próximos governos (enquanto rolam os juros) também não.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*