Simples, não? | Fábio Campana

Simples, não?

Com que, então, temos processos seletivos sim-plificados que permitem ao secretário de Educação no-mear quem quiser sem concurso público. Basta um cur-rículo vistoso e um vistaço do Maurício Requião. O que diz o Tribunal de Contas? E o Ministério Público?


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*