Porrete à vista | Fábio Campana

Porrete à vista

O diretor jurídico da Paraná Previdência, Francisco Alpendre, reforçou o que dissera aos veículos de comunicação anteriormente. Disse que não considera válida a contagem de tempo de estágio e advocacia (quando comprovada meramente com a certidão da OAB). Expôs os seus argumentos. Falta saber somente em qual campo jurídico a batalha continuará.

Se tratar-se apenas de questão administrativa do estado, o governador Requião já mostrou que não economizará no porrete. Há uma semana ele ameaçou com decreto que anularia o convênio, hoje assinou o tal decreto. O Duce disse que “[Nós, o governo] substituímos o Ministério Público na luta pela moralidade no Paraná”. Requião requisitou para si a obrigação burocrática de homologar quaisquer novas aposentadorias. E soltou a hipótese de exigir a contribuição previdenciária de funcionários públicos aposentados que recebam acima de R$ 5 mil reais.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*