Dois coelhos | Fábio Campana

Dois coelhos

Assim, Requião bateu em dois coelhos com uma só cajadada. No Ministério Público porque este ousou tocar no assunto que lhe dá azia, o do nepotismo. E em Joel Coimbra e Jaime Lerner, sendo que por este têm ânimos de Salieri, aquele compositor que morria de inveja do brilho de Mozart.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*