Armação ilimitada | Fábio Campana

Armação ilimitada

O aquecimento do processo político paranaense promove revelações surpreendentes. Há de tudo nesta paroquial guerra de babuínos.

Da armação que levaria à prisão de dirigentes de concessionárias de pedágio, com detalhes para o espetáculo público de execrações, ao pedido de condenação do ex-governador Jaime Lerner por improbidade administrativa.

O Ministério Público, que se vê às voltas com o fogo de Requião sobre as aposentadorias da corporação, surpreende a praça com a denúncia de suposta concessão irregular de indenização nos últimos dias da gestão de Lerner. A operação teria resultado no pagamento de mais de R$ 40 milhões em créditos tributários.

Lerner corre o risco de suspensão dos direitos políticos por oito anos e o pagamento de multa até duas vezes o valor do dano causado ao erário. A ação é assinada pelos promotores de Justiça Wilde Soares Pugliesi e Terezinha de Jesus de Souza Sgnorini.

Agora, imaginem a satisfação do governador Requião diante de notícias como essas que esfalfam seus adversários de estimação. Há quem relate uma comemoração, ontem à noite, ao champanhe, na granja do Canguiri.

Na bolsa de apostas da Boca Maldita os jogadores de costume se dividiam entre duas hipóteses: a primeira, de que o Ministério Público decidiu atirar em Jaime Lerner para demonstrar isenção em relação aos governantes.

A outra possibilidade aventada é ainda mais intrigante e certamente desprovida de qualquer fundo de verdade. Diz ela que o Ministério Público estaria interessado em agradar o governador Requião para que este reduza a sua ofensiva contra a instituição, por isso estaria denunciando Jaime Lerner. Se verdadeira, teríamos que admitir que a nossa precária democracia entrou em colapso.


4 comentários

  1. Carlos
    terça-feira, 11 de setembro de 2007 – 9:08 hs

    Digite seu comentário aqui
    é hoje o governador estava bem calminho na escolinha. O que será que aconteceu?

  2. Solange
    terça-feira, 11 de setembro de 2007 – 9:09 hs

    Digite seu comentário aqui.
    este blog é legal, tudo que escrevemos vai para o ar. parabéns Campana.

  3. jango
    terça-feira, 11 de setembro de 2007 – 17:10 hs

    Dá a impressão, nesta hora, de que estas salvas aqui e acolá, por parte do Ministério Público Estadual, é para mostrar que está vivo, pois acreditávamos que já tinha morrido na defesa da ordem jurídica, do regime democrático e dos interesses sociais e individuais indisponíveis do povo paranaense, tantas as denúncias e quantos os silêncios do Parquet nos últimos anos junto às fontes do poder governamental. A lei de improbidade administrativa está na iminência de ser derrogada por falta de utilização, enquanto o erário vai pagando o prejuízo. É lastimável.

  4. shirley
    sexta-feira, 14 de setembro de 2007 – 22:26 hs

    Não importa o motivo pelo qual se apura as irregularidades, o importante é que elas sejam apuradas e consertadas, e isso Requião sabe fazer acontecer.
    O Ministério querer demitir os parentes de Requião, trabalhadores e competentes, honestos, amados e respeitados pelos paranaenses, é um absurdo, diante de tanta falcatrua por aí para serem apuradas, como essas das aposentadorias milionárias.
    Os parentes de Requião não estão prejudicando o Paraná, pelo contrário, estão beneficiando, como no caso do Maurício, Secretário de Educação, que sabe levar adiante os projetos educacionais, agora, as aposentadorias altíssimas e os salários altíssimos do Ministério, isso sim, prejudica o Paraná.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*