Sonho destruído | Fábio Campana

Sonho destruído

Mais do que a casa própria, o sonho de muitos brasileiros é abrir uma empresa, ser dono de seu próprio nariz, ser dono de seu próprio negócio. Mas a realidade se faz pesadelo para quem sonha com isso. Dados do Sebrae desanimam o mais otimista dos otimistas. 49,4% das empresas fecham as portas antes de dois anos, 56,6% em menos de três anos e 53,9% em menos de quatro anos.

E quais seriam as causas de tanta falência. Aquela ladainha de sempre: carga tributária exagerado, juros obscenos e outros males. A burocracia parece sem fim. O governo, ao invés de fomentar, parece fazer de tudo para massacrar quem deseja construir a economia do Brasil.

E os pequenos e micros empresários? Eles representam mais de 99% da economia brasileira. Agora, o governo acena com o Supersimples, sistema que tem a finalidade de ajudar esses fortes, os pequenos e micro empreendedores deste Brasil brasileiro. A Receita Federal prorrogou para 15 de agosto o prazo para aderir ao Supersimples. Mas boa parte dos empresários sequer sabe o que significa Supersimples. Tem que diga que Supersimples é Supercomplicado. Ou Supercaos.

Enquanto isso, a vida segue, pessoas fazem das tripas coração para manter a sobrevivência. E, simultaneamente, o governo parece virar as costas para a realidade. Os pequenos e médios empresários lutam contra dragões que parecem indestrutíveis: falta de capital de giro, impostos & tributos, falta de clientes, concorrência, baixo lucro, maus pagadores e inadimplência, má localização da empresa, além da inoperância governamental.

Há saída? Há luz no fim do túnel? Ou a luz não passa de uma locomotiva que vem em sentido contrário e tudo vai arrasar? Ora, tudo bem, dizem as almas parvas. E a vida segue. Afinal, o show tem de continuar, o governador tem de viajar, e nós, ora, nós temos de pagar impostos e contas, porque hoje já é dia 6.


Um comentário

  1. Carlos Barreiro Neto
    segunda-feira, 6 de agosto de 2007 – 16:16 hs

    Curitiba é uma das cidades latino americanas que mais facilita o alvará de funcionamento, pra que?
    A empresa fica ali uns dois anos e todos os esforços foram em vão.
    Rezo que meus negócios não se encaixem neste texto.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*