Quem paga a conta? | Fábio Campana

Quem paga a conta?

Lembrar é viver: “Ou o preço do pedágio abaixa, ou o pedágio acaba”, prometia o candidato Roberto Requião antes de virar governador.

Ora, pois, a edição que circula hoje do Diário Oficial do Estado traz publicada a lei estadual 15.607, sancionada por Requião, que regulariza e garante a isenção de pagamento de pedágio aos veículos emplacados nas cidades paranaenses onde existem praças de pedágio.

Ficou feliz, eleitor? Os hidrófobos da comunicação palaciana também. O sítio de notícias do governo do Paraná contava vantagem já na sexta-feira.

Dizia que “a isenção deve beneficiar os proprietários de mais de 430 mil veículos — o equivalente a 11% dos 3,8 milhões de automóveis registrados no Detran — emplacados em 27 municípios onde estão instaladas praças de pedágio”.

Correto? Nem tanto. A Federação de Transportes e Cargas do Estado do Paraná, a Fetranspar, alerta que a isenção livra alguns do pagamento em prejuízo de outros. Nada impede as concessionárias de repassar a perda de receita aumentando as tarifas.

Assim que publicada a lei, a Fetranspar entrará com ação na justiça exigindo que o governo subsidie o benefício assegurado na nova lei. Requião terá que pagar a diferença. Algo como o que a prefeitura de Curitiba faz com o transporte coletivo para manter a tarifa de ônibus baixa.

Hoje, portanto, cairá mais um abacaxi na mesa da procuradora-geral do estado, Jozélia Broliani. Um daqueles bem ácidos, que só Requião sabe cultivar.

Nas rodas de Direito, o assunto virou piada. Garantem que a lei não se sustenta. Que não passa de outra peça de marketing político mal elaborada.

O que faremos, nós, paranaenses, que não utilizamos carro oficial custeado pelo Estado? Comam brioches, parece dizer o Duce.


Um comentário

  1. Carlos Barreiro Neto
    segunda-feira, 27 de agosto de 2007 – 15:01 hs

    Se o governo pagar aquela ajudinha pros pedágios… hã… não é o povo que vai continuar pagando?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*