Outro cavalo de guerra | Fábio Campana

Outro cavalo de guerra

[atualizado 13:21] O governador Requião gosta de colecionar inimigos. Hoje, na escolinha, desceu a borduna novamente no Ministério Público. As últimas decisões tomadas pelo órgão fiscalizador o tem tirado do sério. Assim, com a Lei a lhe morder os calcanhares, não pode governar.

Requião critica os salários pagos aos promotores e procuradores de justiça do MP. Diz que por remuneração semelhante o prefeito de Curitiba, Beto Richa, se viu obrigado a doar parte dos rendimentos para instituições de caridade.


2 comentários

  1. João
    terça-feira, 21 de agosto de 2007 – 10:12 hs

    Caro Fábio, adoro sua coluna, mas permita-me anotar uma pequena correção: o Ministério Público não possui desembargadores, apenas promotores e procuradores de Justiça. Os promotores equivalem aos juízes, atuam na primeira instância do Judiciário. Os procuradores do MP estadual atuam na segunda instância (Tribunal de Justiça), integradas pelos desembargadores (que são os juízes de segundo grau).

    Abraço
    João Luiz

  2. PATRICIA
    terça-feira, 21 de agosto de 2007 – 13:55 hs

    eu acho valida!!! quem com ferro fere!!! vcs ja sabem

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*