O dia do Requião | Fábio Campana

O dia do Requião

O Duce se dá a reflexões e percebe que não há exagero em dizer que o governo do Paraná é hoje balzaquiano, embora nossa “comédia humana” já se esteja escrevendo num quadro ainda mais desordenado e selvagem que o da França de Luís Filipe, o Rei Burguês, ou do Segundo Império.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*