Não é malacacheta | Fábio Campana

Não é malacacheta

Mazza, o verdadeiro, conta a história do aluno em prova oral de geologia, final de ano, suando frio diante da pedra que o mestre aponta exigindo definições.

Longo silêncio e a constatação.

– Não é malacacheta.

O mestre, então, pergunta?

– Por que não é malacacheta?

O aluno abre sorriso triunfal. Sabe tudo sobre malacacheta e só sobre malacacheta. Pode discorrer um dia inteiro sobre as propriedades da malacacheta.

Ontem, Requião lembrou o aluno de geologia, personagem do Mazza. Logo depois da solenidade na Bolsa de Valores de Nova York foi entrevistado por repórter da Bloomberg. Perguntado sobre economia e assuntos vários, respondeu sobre o único tema que parecia dominar. Transgênicos.

A repórter de língua portuguesa para não causar constrangimentos ao Duce, com a máxima boa vontade e paciência, insistiu em perguntar sobre as ações da Copel, a política de energia do Paraná, a economia do Estado e tudo aquilo que lhe parecia ser a motivação principal da visita do governador a Nova York.

Requião respondeu a todas essas perguntas falando sobre transgênicos, que nada tinha a ver com a pauta da simpática repórter.

Ora, pois, Requião, do alto de sua soberba, deve acreditar que para ele não há pergunta a não ser aquelas que ele quer responder e sobre os seus temas obsessivos. Um deles é o cultivo de transgênicos. Ainda bem que escolheu esse e não outros dos seus assuntos recorrentes.

Na curta lista de suas especializações há temas que seriam ainda mais complicados para o entendimento de uma repórter americana especializada no mercado de ações, como pedágio, vantagens do nepotismo, equitação rural em corriola e a logorréia anticapitalista de nosso Bolívar do Cangüiri.


Um comentário

  1. Jonas Medeiros
    quarta-feira, 1 de agosto de 2007 – 15:39 hs

    Vivemos num tempo de trevas. Ninguém sonhava que um dia o Paraná poderia vir a ser governador por um sujeito destituído de visão estratégica como é o caso do Requião. Que ele só pensa em coisas menores, isso todos sabem. O que me incomoda é o fato dele nunca chamar gente competente para ficar a seu lado. O governador só contrata medíocres. Afinal, alguém razoavelmente inteligente ofuscaria o sem-luzes que é o Requião. Vejam quem está com ele. Somente medianos. Um medíocres e seus iguais. Os semelhantes se atraem. E quem sofre com esse desastre é o povo do Paraná.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*