Guerra anunciada | Fábio Campana

Guerra anunciada

A oposição foi à Justiça. Não agüenta mais a tergiversação requiônica. A bancada oposicionista teve negados diversos pedidos de informação. Foram muitas as respostas truncadas, incompletas e até mesmo ofensivas. A má educação, e mesmo omissão, do governo estourou todos os limites dos deputados.

Valdir Rossoni verbaliza a indignação: “Além da demora na resposta, quando elas chegam não correspondem ao que foi perguntado. Esse governo prega a transparência, mas ao omitir os dados, demonstra que não tem nenhum compromisso com a verdade e qualquer respeito pelos paranaenses”. A oposição anda de maus bofes.

A bancada de oposição solicitou informações a secretarias e empresas estatais no dia 21 de junho. De 16 requerimentos, houve apenas respostas para oito deles, com informações incompletas e distorcidas além de atraso na resposta. “O governo demora em responder porque sabe que está fazendo algo de errado e quer omitir a informação”, carimbou Élio Rusch, do DEM.

Marcelo Rangel, do PPS, é outro que vê inoperância neste governo requiônico. “A bancada está recebendo respostas que não valem nada. Responderam um requerimento falando que as informações estão no site, mas não foi isso o que perguntamos. Foi uma resposta esdrúxula, ridícula e não vamos aceitar isso. É crime de responsabilidade tentar ludibriar o parlamento”, esbravejou Rangel.

Sexta-feira foram protocolados no Tribunal de Justiça mandados a fim de saber sobre compra de medicamentos por parte da secretaria de saúde, contratos de empresas prestadoras de serviço e aditivos contratuais por parte da secretaria de educação, custos e aditivos da construção do Palácio das Araucárias, por parte da secretaria de obras públicas, entre outras dúvidas.

O segundo semestre parlamentar promete…


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*