Desatado | Fábio Campana

Desatado

O diretor jurídico da Paraná Previdência, Francisco Alpendre, espremeu a dívida de R$ 600 milhões do governo com o fundo previdenciário até fazer suco. Alega a inexistência de contrato entre as partes, o que inviabiliza quaisquer argumentos da oposição. Sem corpo não há crime. Sem contrato não há dívida. A bancada de oposição expeliu fogo pelas ventas.


2 comentários

  1. jango
    sexta-feira, 10 de agosto de 2007 – 18:30 hs

    Este “comissionado”, sem compromisso com o interesse público, já desmonstra a que veio: dar começo à desconstituição do ParanaPrevidência. Esta é a República do Pinochaves do Iguaçu e seus asseclas comissionados, pagos com o dinheiro do povo para destruir o que está funcionando corretamente. A sua nomeação, decorrente de projeto de lei de iniciativa viciada, é espúria. Se existem Ministério Público, Tribunal de Contas e Parlamentares compromissados com eficiência da administração pública, tal lei que alterou as nomeações do diretor jurídico e financeiro (comparsa nesta colocação equivocada) deverá ser cassada na Justiça e colocados porta a fora da ParanaPrevidência estes aloprados que vieram estabelecer uma cabeça de praia para acabar com o fundo previdenciário modelar do servidor público. De outra sorte, cadê o SINDI-SEAB, ASSEFACRE, Comissão do Serviço Público da Assembléia Legislativa, Comissão da Gestão Pública e Assuntos da administração e da Advocacia Pública da OAB, etc ? É preciso extirpar este câncer de imediato, gente ! Amanhã, estaremos todos mortos. “Après moi, de déluge”, este é o lema do Pinochaves do Iguaçu.

  2. Fernanda Nogueira
    sábado, 11 de agosto de 2007 – 0:43 hs

    Não sei, não. Se não tem contrato mesmo, como ele diz, nem tem o que dizer. Ele é esperto, uai. Só isso. No meio de tantas antas alguém esperto se destaca.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*