Beto Richa e ministro | Fábio Campana

Beto Richa e ministro

Ministro, prefeito de Curitiba: visitas
 
Hoje, segunda-feira 13, o prefeito de Curitiba, Beto Richa, e o ministro das Cidades, Márcio Fortes, visitaram algumas obras de habitação que estão sendo feitas em Curitiba com recursos do governo federal. Richa, Fortes e o presidente da Companhia de Habitação Popular de Curitiba (Cohab), Mounir Chaowiche, vistoriaram projetos em execução nos bairros Uberaba, Sítio Cercado e Tatuquara.
 
Fala prefeito
 
“Contamos com o apoio do governo federal para levar em frente um programa habitacional que procura responder às demandas de cada segmento da comunidade atendida pela Prefeitura, com preocupação especial pelos mais carentes”. Palavras de Beto Richa, que completou: “São obras de urbanização que fazem parte de um projeto amplo para melhoria das condições de moradia da população.”
 
Passo-a-passo

A primeira visita foi ao bolsão Audi/União, aglomerado de vilas no bairro Uberaba que reúne cerca de 3,1 mil famílias e está recebendo obras de urbanização. “Procuramos compatibilizar a atuação social, que é inerente à moradia, com a recuperação de áreas degradadas e com a preservação ambiental, como é o caso das obras do bolsão Audi”. Palavras de Beto Richa.

Segundo passo
 
Posteriormente, prefeito e ministro foram ao Sítio Cercado. Visitaram um empreendimento do Programa de Arrendamento Residencial (PAR), que será entregue nesta semana para famílias da fila da Cohab. O PAR é feito em parceria com a Caixa Econômica Federal. Em seguida, a visita foi ao Moradias Sambaqui, área de reassentamento destinada a moradores de área de risco, e ao Moradias Laguna, no Tatuquara, onde estão sendo construídas 479 casas para relocação de moradores da Vila Terra Santa.
 
Parceria
 
Márcio Fortes acredita que esta parceria entre a União e o Município está funcionando bem e será ampliada quando forem iniciadas as intervenções que estão previstas para Curitiba no Plano de Aceleração do Crescimento (PAC), do governo federal. “Sinto que as prefeituras estão todas muito estimuladas para participar do programa e aqui em Curitiba temos a vantagem de ter uma parte do trabalho já iniciado. Neste caso, o PAC será uma complementação do programa em andamento”, afirmou Fortes. O ministro disse que o PAC é um exemplo prático de exercício do pacto federativo. “A definição das obras contempladas tinha como objetivo principal o atendimento às necessidades da população e, por isso, a prefeitura foi escolhida para executar as intervenções”, finalizou. 


Um comentário

  1. Garganta
    terça-feira, 14 de agosto de 2007 – 16:58 hs

    E o que o ministro fez de tarde? Ah, o que ele fez a tarde não foi com a prefeitura. Então, não interessa.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*