A farra das ONGs | Fábio Campana

A farra das ONGs

A oposição aprovou mais um pedido de informação ao governo. Quer saber quanto foi o dinheiro repassado pelas secretarias de Educação e do Trabalho para ONGs, OSCIPs e assemelhados durante os últimos 12 anos.

A oposição alimenta enormes suspeitas de que existiu uma farra das ONGs com dinheiro público nos últimos quatro anos. Os palacianos tiveram que aceitar o pedido, mas para não ficar feio para o governo Requião, exigiram que as informações abrangessem também o governo de Jaime Lerner.

Tudo bem, diriam as almas parvas. Mas nem tudo. Pois ninguém nas bandas do Centro Cívico acredita que o governo dará as informações que pede a oposição. Ainda mais porque se trata de questionar a gestão do caçula do clã Requião, Maurício, que perde as estribeiras e a saúde quando está sob investigação pública.

Outra impertinência da oposição é a Comissão de Investigação dos Gastos com Propaganda. Ela é presidida pelo maestro Dobrandino Gustavo da Silva, deputado da horda de Requião, dos mais leais. Mas ele não é garantia de que os desvios da dupla Pires e Pisseti continuem na moita.

O deputado Marcelo Rangel está na comissão e não lhe deram cargo algum. Mas ele tem o mais importante nas mãos. Uma penca graúda de denúncias documentadas com as quais pretende levar os hidrófobos dos dois palácios ao banheiro.

Mas nem tudo está perdido para as cores palacianas. Nos bastidores, Geraldo Serathiuk faz agora o papel de chanceler do reino e procura reaproximar desafetos, como os de ontem, os deputados Luís Cláudio Romanelli e Rocha Loures.

Talvez a presença de Serathiuk modere os modos da tigrada que atiça o Duce para a briga e tudo indica que ele vai assumir uma Secretaria Especial para melhorar o trânsito do governo com o mundo. Pois, pois.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*