Trocou de guichê | Fábio Campana

Trocou de guichê

Requião perdeu mais uma. O juiz Eduardo Sarrão acatou o mandado de segurança da prefeitura de Curitiba e mandou retirar a cidade do cadastro de inadimplentes da Secretaria da Fazenda, mais conhecida por Cadim-SEFA no jargão dos burocratas fazendários.

Assim, Requião não tem mais como justificar as represálias financeiras contra a cidade por conta de seus maus bofes com o adversário Beto Richa desde que o prefeito apoiou Osmar Dias para o governo e por pouco, muito pouco, não venceu a eleição.

Curitiba trocou de guichê. Deixou de ser devedora do Estado. Está na fila dos credores e tem pressa para receber, de cara, os R$ 63 milhões trancados pelo governador Requião e que paralisaram obras importantes, como as do anel viário, as do Hospital Geriátrico, e mais outras16 obras boicotadas pelo governo estadual.

Ontem, o prefeito Beto Richa lamentou que os financiamentos para obras em Curitiba estejam retidos pelo governo. Ainda não sabia da decisão do juiz Eduardo Sarrão que considerou ato ilegal a inclusão de Curitiba no cadastro dos devedores por conta da dívida da CIC. À noite, comemorou a vitória.

Essa derrota no Judiciário cria um problema a mais para as finanças do Estado que andam mal das pernas. Ultimamente, Requião não tem conseguido verbas suficientes nem mesmo para manter programas essenciais, como o do fornecimento de remédios para enfermos de doenças especiais.

Mas no afã de recuperar prestígio e popularidade, vem dando barretadas com o chapéu alheio. Ontem, prometeu faculdade de Medicina para Ponta Grossa, polícia em Londrina e aumento dos salários do professores universitários estaduais. Ora, pois, o que é capaz de provocar uma pesquisa de opinião.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*