Requião não quer transparência | Fábio Campana

Requião não quer transparência

Lá vai mais dinheiro público pelo ralo. O Palácio das Araucárias (ou das Divisórias, ou dos Babuínos) terá novas obras. Serão trocados 150 vidros. A versão oficial: houve um defeito na colocação, que precisa ser remediado. A versão oficiosa: Requião quer por vidros mais escuros, para impedir a visibilidade externa. O governador que acabar com a transparência, pois nas últimas semanas sentiu que é observado, que dele ninguém tira os olhos. Não suporta mais.

Ora, pois, nenhuma das duas hipóteses justifica o gasto extraordinário com um novo erro na execução dessas obras. A pressa e a soberba são inimigas da administração pública.


2 comentários

  1. Adolfo Wendpap
    quinta-feira, 26 de julho de 2007 – 16:03 hs

    Eu também tenho uma versão para esse ato. Aversão.

  2. jango
    quinta-feira, 26 de julho de 2007 – 17:12 hs

    Se houve defeito, cobre-se do instalador; se não se quer visibilidade externa, cobre-se dos incomodados. O dinheiro do povo, o propalado minguado orçamento estadual da República Neo-Esquerdista, não deve suportar qualquer das hipóteses. Afinal, vidros são mais prioritários que remédios para os doentes ?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*