Ecos da escolinha | Fábio Campana

Ecos da escolinha

Alguém viu os brothers?
 
Na escolinha de hoje, pelo menos por meio da transmissão da ParanáEducativa, ninguém viu os irmãos Maurício e Eduardo Requião. Sendo irmão, pode faltar?
 
Aluno aplicado
 
Rafael Greca de Macedo se mostrou um aluno extremamente aplicado. Pelo menos pelas imagens transmitidas pela ParanáEducativa. O presidente da Cohapar anotava tudo na escolinha. Caderno e caneta na mão. Nos bastidores, se comenta que o exemplo pegou. Ao que tudo indica, na próxima aula todos os alunos deverão usar caneta e papel. Os deputados da oposição estão de olho, já avisaram que material de escritório do estado, papel timbrado e afins, está fora de cogitação. Acaba em CPI. 
 
Aluno complicado?
 
Rafael Greca de Macedo, escalado por Requião para falar, ao se pronunciar lembrou que foi ministro de Fernando Henrique Cardoso. Pegou bem?
 
Morde e assopra?
 
Engraçado. Ontem Requião foi a Brasília para garantir detalhes do PAC no Paraná. Curioso. Hoje, o convidado da escolinha bateu no governo Lula.  De leve, porém com intensidade. Tanto que um secretário petista, Ênio Verri, pediu a palavra para defender o petismo e o lulismo.
 
Big Brother?
 
Repararam quem foi o membro do governo mais filmado, em close, durante a escolinha desta terça?

Não ofende

Hoje, na escolinha, o convidado Plínio de Arruda Sampaio pegou o microfone, quase no final da aula, e falou que não se deve dizer o que o povo quer ouvir. Sampaio salientou que não se deve dar ouvido a marqueteiros. De repente, close no rosto de Requião. Curioso. Curioso porque Requião depois de uma temporada chumbando a imprensa, subitamente, muda de discurso. Curioso, não?

Ofende?
 
Uma pesquisa de opinião pode fazer alguém mudar de atitude e de discurso?


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*