Pobre Romanelli | Fábio Campana

Pobre Romanelli

Não é fácil ser líder de bancada do governo Requião. Além de enfrentar os adversários do governo, o gajo é obrigado a suportar o fogo amigo e a incompetência dos senhores secretários.

Vejam o caso do Luiz Cláudio Romanelli. Segundo um peemedebista de quatro costados, o moço perdeu os últimos fios de cabelo e a jovialidade no papel de líder.

Pudera. Deve manter a maioria parlamentar para proteger um governo que não dá a mínima para os seus deputados. Só lembra deles quando precisa de defesa na Assembléia. Aí é aquele Deus nos acuda, ai Jesus, Maria e José.

Exemplo: o partido que mais abocanhou prebendas no governo neste mandato é aquele que não vota com o governo. O Partido Verde tem uma única deputada, a brava Rosane Ferreira, que não se curva nem se troca por verbas e sinecuras.

Como pode então o Romanelli justificar aos demais deputados esse fenômeno que faz do partido Verde um grande partido no governo e zero à esquerda na base de apoio?
Não justifica e talvez isso explique porque alguns deputados do PMDB, do PT e da bancada tucana de bico vermelho têm se ausentado do plenário em momentos de votações decisivas, como aquela que instalou a Comissão Especial de Investigação dos gastos do governo com propaganda.

Luís Eduardo Cheida, parafraseando o velho Stalin, pergunta: quantas legiões têm o Mello Vianna? Ora, pois, tamanha proteção ao preboste do partido Verde levou o Jocelito Canto a imaginar que nesse Mello do Vianna há parentesco com o Mello do Requião.

Pobre Romanelli, obrigado a defender um governo na base da ordem unida, o que só faz aumentar a antipatia de seus pares.


Um comentário

  1. ALBERTO MELO VIANA
    quarta-feira, 6 de junho de 2007 – 11:33 hs

    Caro Fábio
    Para esclarecer.
    Não sou do Partido Verde, não tenho emprego em governo nenhum, não pego propina muito menos. Mas sou um MELO VIANA, aliás o mais velho, de seis irmãos e com muito orgulho. Nossa família, como você bem sabe, ou deveria saber como bom e bem informado jornalista que é, vem lá da Bahia, do sertão da Bahia, de Vitória da Conquista. E não tem nada a ver com o Mello e Silva, do Requião, e também se tivesse não teria problema nenhum. Sempre tive boa relação com Requião, Lerner, Álvaro, Richa, Greca, etc, até porque exerci, como você também sabe muito bem, pois fomos parceiros em algumas reportagens, no antigo Correio de Notícias, a função de fotojornalista. Acho que você deveria saber melhor sobre o Melo Viana, o político. É um idealista como poucos. Gasta do seu dinheiro, ganho em seu emprego conseguido através de concurso público desde os 19 anos, no Banco Central do Brasil, para fazer sua política em nome de uma qualidade de vida melhor para todos nós. É uma pessoa preparada. Estudou muito para isto. ELE É UM POLÍTICO DIFERENTE DO QUE SE VÊ NO TRISTE CENÁRIO NACIONAL.
    Diante do que se vê no cenário político brasileiro e paranaense, acredito que é muito melhor ficar com o Partido Verde, com pessoas decentes e idealistas, (até votando contra). Talvez seja por isso que o Requião dá este espaço para eles. Que também não é um espaço muito grande como você postou neste blog.
    Não acha? Ou então que fique com o Jocelito Canto e boa sorte.

    Alberto Melo Viana
    Fotógrafo, Jornalista, Professor
    e Mestrando em Comunicação na UTP

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*