Carta do Botto de Lacerda | Fábio Campana

Carta do Botto de Lacerda

Prezado Fábio,

Em sua coluna de hoje (ontem) há manifestação da atual procuradora geral do Estado Jozélia Broliani, criticando o trabalho anterior da PGE.

Anoto o seguinte:

Há sério equívoco naquilo que supostamente fora dito pela atual procuradora geral. Não houve ações judiciais com relação a atos do governo Lerner. Foram pareceres jurídicos do gabinete da PGE, muito bem feitos por sinal, que embasaram atos administrativos do governador Requião e posteriores comunicações ao TC e ao MP versando acerca de anulação de inúmeros contratos lesivos. Todos foram elaborados por mim, com o assessoramento da então assessora de gabinete Jozélia Broliani e da competente Procuradora Lilian Didoné, que ainda ocupa o cargo no atual gabinete e deve, portanto, ter conhecimento jurídico e continuar merecendo a mesma confiança que detinha ao tempo que estive no comando da instituição. Se o TC e o MP nada fizeram, não foi por causa de suposta fragilidade das peças e todos sabemos disso.
Se a assertiva está lastreada sobre o assunto Banestado/Itaú, (venda, títulos podres, avaliação e crédito fiscal) as ações judiciais foram muito bem elaboradas por um grupo de procuradores composto por: Eroulths Cortiano Junior, Valquiria Bassetti Prochman, Leila Cuelar, Jair Gevaerd Filho, Vera Grace, Manoel Caetano Ferreira Filho, todos sob a supervisão do gabinete e contando com a ativa participação também da competente e então assessora Dra. Jozélia Broliani.
Mas, daí, dizer para a imprensa, que o trabalho anterior foi mal feito e elaborado sem o mínimo de conhecimento jurídico, é uma impropriedade, pois se está tentando estabelecer mais um engodo e atingir toda a PGE.

Abraço,

Sergio Botto


Um comentário

  1. Horacio Salcedo
    sexta-feira, 2 de maio de 2008 – 11:16 hs

    Lilián Didoné te conocí estudiando en España, sin duda muy inteligente y dedicada al estudio de los problemas del orden jurídico, quisiera conocer su e-mail. Alguién podría ayudarme. Gracias

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*