Da pá virada | Fábio Campana

Da pá virada

Bem que o governo Requião gostaria de ver esse assunto encerrado de uma vez por todas. É muito desgastante.

Mas o líder dos tucanos resolveu pegar no pé. Valdir Rossoni diz que vai voltar a bater no caso Pavibrás, que atormenta o conselho administrativo da Sanepar, desde a ascensão de Pedro Henrique Xavier ao cargo de presidente. PHX deu prazo para os conselheiros se explicarem.

Para quem esqueceu da maracutaia: a empresa Pavibrás, que venceu licitação para obras no litoral no valor de R$ 69 milhões, já recebeu R$ 113 milhões, e as obras não foram concluídas.

Sem contar outros R$ 40 milhões que a Pavibrás cobra a mais. Pode? Pode, pois isso vem acontecendo há muito e só estourou agora.

Mais grave ainda é que o PHX, como é mais conhecido o advogado Pedro Henrique Xavier, confirma a suspeita de que as irregularidades na Sanepar não se limitam aos contratos firmados com a Pavibrás, o que pode dar rebu ainda maior.

“Esse mau costume de pagar a mais nos contratos de obras atingem todos os contratos do programa ParanaSan, que conta com dinheiro japonês para o saneamento no litoral”, alerta o tucano Valdir Rossoni.

O assunto vai voltar ao debate depois da Páscoa e deve se prolongar por todo o primeiro semestre, pois sobre ele não falta munição.

Quem fica na berlinda é o próprio Valdir Rossoni, que se afinar agora ficará com a pecha de ter feito acordo com o governo. Basta ver que ele desistiu de tratar daqueles assuntos sobre a transação de florestas e madeira da antiga Paraná Reflorestadora, hoje no capital da Paraná Ambiental. Com a palavra o Rossoni.

Publicado originalmente no jornal O Estado do Paraná.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*