Sargento Fahur diz que gostaria de "cortar cabeças de bandidos" | Fábio Campana

Sargento Fahur diz que gostaria de “cortar cabeças de bandidos”

A escolha do Sargento Fahur (PSD) como deputado federal mais votado do Paraná é mais uma prova de que muita gente anda votando para o Legislativo como se estivesse escolhendo o xerife da cidade. O PM entrou para o folclore da crônica policial por defender com todas as letras aquilo que os políticos em geral, mesmo na extrema direita, preferem deixar implícito: “bandido bom é bandido morto”, afirma Fahur. As informações são de Rogério Galindo na Gazeta do Povo.

Bolsonarista de primeira hora, Fahur diz que pela suas contas já matou uma dúzia de pessoas junto com suas equipes. Segundo ele, sempre quando o criminoso reagiu. Afinal, diz não ser covarde. “Não sou assassino e não apoio assassino”, diz. De acordo com o credo dele, a “opção do bandido” é entre a cadeia e o caixão. “Se se entregar, é cana”, diz.

As falas de Fahur são cruas a ponto de serem espantosas. Diz ficar feliz quando alguém que está cometendo um crime morre. Sempre que policiais anunciam que balearam e mataram alguém em confronto, ele descreve a situação como “CPFs cancelados com sucesso”. E diz que fica sorridente ao saber que mais bandidos foram parar no “colo do capeta”.

Nesta semana, por exemplo, escreveu após a morte de quatro pessoas pela polícia em Manaus: “Bandido é bandido por opção. Então parabéns aos Policiais que fizeram uma limpeza em Manaus, cancelando com sucesso 04 (quatro) CPFs de quatro bandidos perigosos que haviam feito reféns em um roubo a lotérica. Parabéns mesmo. Vocês me representam. Quanto aos bandidos, colo do capeta pra eles.”

Embora diga que não é assassino, Fahur já deu declarações dizendo que queria ir mais longe. “Gostaria de fazer mais justiça do que eu faço, cortar umas cabeças por aí de vagabundo”, afirmou em entrevista disponível no YouTube. “Esses caras que cometem esse tipo de crime eu me vejo como uma espécie de justiceiro, pegar esses caras e exterminar essa raça do diabo.”

Além de se eleger, Fahur conseguiu emplacar seu “fiel escudeiro”, o Soldado Adriano José (PV), para deputado estadual. Segundo ele, “a base da nossa proposta é endurecer a vida de bandido”. “Está na hora de acabar com as visitas íntimas nas cadeias, se o bandido quer fazer sexo que faça com o companheiro de cela”, escreveu recentemente no Twitter.

A dupla também fala cruamente sobre drogas. Sobre maconha, por exemplo, Fahur já disse que se alguém “fumar em frente da minha casa, eu meto bala”.

De acordo com ele, a opção pela morte de criminosos é uma questão “matemática”. “Tem dez, você mata cinco só sobra cinco para infernizar.”

Outra frase? “Sou a favor de reintegrar o bandido à sociedade. Os órgãos vão pra doação, esqueleto vai pra medicina e o que sobrar vai pra adubo.”

Mais uma, para encerrar: “Bandido bom é bandido morto, e enterrado de cabeça pra baixo, caso ressuscite e comece a cavar, vai cada vez mais fundo.””


10 comentários

  1. Zé ninguém
    quarta-feira, 17 de outubro de 2018 – 9:31 hs

    Em uma democracia todas as classes devem ser representadas , e em um tempo de corrupção total e natural que a população procure diretamente na policia , seja ele como candidato ou o proprio policial , ja tivemos o Bradock , anteriormente secretarios de segurança , Zé Maria , tem o próprio Francisquine , os reportes policiais Alborguethe , a diferença e que uns estão preparados para o exercício da função politica e outros não . Sargento Fahur sera apenas mais um deputado policial , deixo claro que não falo de honestidade pois acho que é honesto , mais não e politico , e terá muita dificuldade .

  2. Ademir
    quarta-feira, 17 de outubro de 2018 – 9:37 hs

    Cotado para a futura secretaria de Direitos Humanos

  3. Marcelo
    quarta-feira, 17 de outubro de 2018 – 10:39 hs

    Um hipocrita!

  4. Paulo
    quarta-feira, 17 de outubro de 2018 – 10:54 hs

    Contraponto paranaense a gaucha Maria do Rosário

  5. Osnir
    quarta-feira, 17 de outubro de 2018 – 11:00 hs

    Que absurdo, isso é muito grave mas fazer o que? O estado policial esta implantado, o tempo vai dizer, o povo ainda vai acordar embora tarde demais.

  6. Alexandre
    quarta-feira, 17 de outubro de 2018 – 15:48 hs

    Apoio totalmente, por isso votei nele… E quem defende bandido pra mim, ou é bandido, ou tem alguém na família que é bandido.
    Bandido não tem dó de ninguém, pq vou ter dó deles.

  7. troll
    quarta-feira, 17 de outubro de 2018 – 16:36 hs

    É isto que dá dar poder a agente despreparada, o cara está se achando. Infelizmente este discurso de ódio fomentado pelo maldito “nós contra eles” e a estupidez dos Direitos Humanos valendo só para os bandidos nos levaram a tal estado de coisas. Leis fracas e impunidade sempre andaram de mãos dadas, mas não é cortando cabeças que vamos acabar com a violência.

  8. quarta-feira, 17 de outubro de 2018 – 19:00 hs

    Parabens Alexandre. Concordo c/ suas colocações.
    Sgt.Fahur , parabéns. Sou pai; ;avô; tio, mas bandido tem que ser “morto” .Nossas leis são feitas e apoiadas pelos
    Proprios que estão no poder..Vamos trabalhar duro p/ botar bandidos presidiarios p/ trabalhar! Vamos acabar
    com protetores de bandidos (direitos humanos)..

  9. Usou grana pública na Campanha
    quarta-feira, 17 de outubro de 2018 – 19:19 hs

    O cara posa de bonzinho e usou 100 mil reais de dinheiro público para sua campanha e o povo bobo ainda votou nele.
    Com 100 mil de dinheiro público para fazer campanha daí fica fácil ganhar uma eleição né.
    Aliás, a maioria é quase totalidade dos Deputados federais que se elegeram, pegaram dinheiro graúdo para suas campanhas e por isso ficou fácil se elegem.
    Fahur: 100.000 mil
    Felipe Francischini: 75.000mil
    Ex prefeito de Curitiba Gustavo Fruet: 450.000 mil
    Professor Luizão ex PT e ex prefeito de Pinhais: 600.000mil.
    Cristiane Yared: 2.400,000 mil
    Paulo Martins: 750.000 mil
    Frangão Parcianello: 1.500,000 mil
    Ex prefeito de Curitiba Luciano Ducci: 400.000 mil

    Esses são os principais e mais conhecidos do eleitor, e esse dinheiro todo foi tirado de outros serviços públicos como saúde, educação, segurança, pelo aval do Congresso atual e Senado e do presidente Temer.

  10. Murillo
    quarta-feira, 17 de outubro de 2018 – 20:47 hs

    Alguém precisa ocupar o lugar do Bolsonaro para contrapor a Maria do Rosário

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*