Moro diz que vai apontar "fake news" de Requião ao CNJ | Fábio Campana

Moro diz que vai apontar “fake news” de Requião ao CNJ

Sergio Moro informará ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ) que estava no Brasil, e não em Portugal, no domingo em que despachou no habeas corpus concedido a Lula pelo desembargador plantonista Rogério Favreto, publica o Valor.

Ele confirmou ao jornal, por meio de sua assessoria de imprensa, que não viajou a Portugal neste mês de julho, em que está de férias (do dia 2 ao 31).

E mais: “O Valor apurou que, na defesa que apresentará ao CNJ, Moro indicará que as informações sobre sua suposta estada em Portugal foram divulgadas nas redes sociais pelo senador Roberto Requião (MDB-PR).”


11 comentários

  1. quarta-feira, 11 de julho de 2018 – 19:26 hs

    O Maiou criador de Fakes News do Brasil, será porque o Feke do FERREIRINHA deu certo que Requião Mamona insiste e criar Novos? Taca lhe Pau Sergio Moro!!!!

  2. PORTUÁRIO
    quarta-feira, 11 de julho de 2018 – 19:34 hs

    ESSE SUJEITO ABJETO AINDA EXISTE? E OS ADMINISTRADORES DO PORTO DE PARANAGUÁ, DEVEM SOLICITAR A POLÍCIA FEDERAL A REABERTURA,DA OPERAÇÃO DALLAS, PARA COLOCAR O IRMÃO CHURRASQUEIRO EM PIRAQUARA, ONDE ESTEVE PRESO O TAL DO DANJÉL “FIÉL” DE SOUZA!

  3. PORTIÁRIO
    quarta-feira, 11 de julho de 2018 – 19:36 hs

    ESSE SUJEITO ABJETO AINDA EXISTE? E OS ADMINISTRADORES DO PORTO DE PARANAGUÁ, DEVEM SOLICITAR A POLÍCIA FEDERAL A REABERTURA,DA OPERAÇÃO DALLAS, PARA COLOCAR O IRMÃO CHURRASQUEIRO EM PIRAQUARA, ONDE ESTEVE PRESO O TAL DO DANJÉL “FIÉL” DE SOUZA!

  4. quarta-feira, 11 de julho de 2018 – 19:38 hs

    Este e uma uma lingua de trapo.Trabalhar que e bom nada, ele nao gosta do cheiro de povo,mas o cheiro dos cavalos,que sao os seus semelhantes!

  5. luiz
    quarta-feira, 11 de julho de 2018 – 20:16 hs

    Uma vergonha este palitico do Paraná. Maria louca fofoqueira nojenta e mau caráter. Deve levar processo sim. pilantra.

  6. antonio carlos
    quarta-feira, 11 de julho de 2018 – 21:09 hs

    E agora Maria Louca como é que fica, mirou na codorna e acertou no cachorro? Foi isto mesmo, ou andou abusando ainda mais daqueles enlouquecedores que toma? KKK agora o Pinóquião da política paranaense vai ter que explicar que não mentiu o que mentiu, mas o corregedor do CNJ está mais a fim de ferrar com o Moro do que com o desembargador golpista.

  7. Moisés Fróes
    quarta-feira, 11 de julho de 2018 – 22:57 hs

    Requião bandido, pilantra, você é que dever ser preso.

  8. quinta-feira, 12 de julho de 2018 – 14:10 hs

    Mais uma fake do pinóchio de Curitiba descoberta. Aliás, é costume do velhote criar notícias que fluem de sua imaginação para tentar se engrandecer aos olhos dos incautos. A do FERREIRINHA é a principal e imbatível até agora. Foi pela encenação do pistoleiro que nunca existiu que ele conseguiu se eleger como governador. Cabe aqui uma pergunta: Onde está o Afrânio, que fez o papel de FERREIRINHA na encenação criminosa ?

  9. Eder Oliveira
    quinta-feira, 12 de julho de 2018 – 15:57 hs

    MORO FICOU NU
    Por: Alex Solnik é jornalista. Já trabalhou: Jornal da Tarde, Istoé, Senhor, Careta, Interview e Manchete. É autor de treze livros, dentre os quais “Porque não deu certo”, “O Cofre do Adhemar”, “A guerra do apagão” e “O domador de sonhos”

    Em PLENAS FÉRIAS, em Portugal, agiu como se Lula fosse “dele”. “Esse preso é meu, ninguém bole” foi o seu recado d’além mar.
    CONFIRMOU AS RECLAMAÇÕES da defesa de Lula de que não atuava com a necessária isenção no processo.
    E o mais surpreendente e constrangedor foi constatar que o presidente do TRF-4, Thompson Flores, que deveria tê-lo colocado em seu devido lugar, OBEDECEU CANINAMENTE, apequenando o tribunal.
    Se a segunda instância obedece à primeira há algo de podre no reino da Dinamarca.
    MORO MAIS UMA VEZ AGIU COMO SE AS LEIS DEVESSEM SER OBEDECIDAS POR TODOS, MENOS POR ELE.
    E como se ele fosse a última instância da Justiça, acima de todas.
    Apesar de ter saído como “vencedor” no episódio, a vitória de Moro foi de Pirro e as suas consequências não se esgotaram com a permanência de Lula nas dependências da Polícia Federal. O seu comportamento deverá ser analisado pelo Conselho Nacional de Justiça e a sua credibilidade e popularidade deverá sofrer mais um revés.
    Além disso, MORO PERDEU TOTALMENTE A CONDIÇÃO DE CONTINUAR JULGANDO OS DOIS OUTROS PROCESSOS QUE COMANDA CONTRA O EX-PRESIDENTE LULA, O DO SÍTIO QUE JAMAIS FOI DE LULA E O DO TERRENO DO INSTITUTO LULA QUE JAMAIS FOI DO INSTITUTO.
    A sua exclusão dos processos deverá ser pleiteada pela defesa do ex-presidente e acatada pelo STF, a fim de se restabelecer a segurança jurídica no país.

  10. Eder Oliveira
    quinta-feira, 12 de julho de 2018 – 15:58 hs

    POR QUE LULA JÁ GANHOU
    El Pais

    A TRAGICOMÉDIA judicial do domingo serviu para deixar mais a descoberto a fragilidade de todo o sistema jurídico brasileiro, que ameaça contagiar o restante das instituições.

    O dia, 8 de julho, foi apelidado de “DOMINGO DA LOUCURA JUDICIAL”. E é possível que seja lembrado como a data em que LULA GANHOU UMA BATALHA MAIOR QUE A DE SUA LIBERTAÇÃO. Graças a tudo o que se mobilizou em torno de sua luta judicial, cuja condenação em segunda instância o impede de disputar as eleições presidenciais APESAR DE ESTAR À FRENTE NAS PESQUISAS, o Brasil descobriu que seu SISTEMA JUDICIAL ESTÁ PODRE.

    https://brasil.elpais.com/brasil/2018/07/09/opinion/1531154643_668674.html

  11. Eder Oliveira
    quinta-feira, 12 de julho de 2018 – 15:58 hs

    FAVRETO TINHA COMPETÊNCIA PARA DAR HC A LULA E MORO “ATRAVESSOU DESPACHO”, DIZ EX-MINISTRO DO STJ E TSE

    O ex-ministro Gilson Dipp, que foi vice-presidente do STJ e corregedor nacional de justiça no CNJ, deu entrevista sobre o imbróglio causado pela sucessão de decisões envolvendo um pedido de habeas corpus para Lula: Confusão não, foi a cena mais patética que eu jamais vi na minha vida em todo o Judiciário. Tudo isso me choca muito porque esse imbróglio foi feito no tribunal de onde sou egresso e do qual fui presidente. Sem apontar qualquer culpa de ninguém, mas foi um processo altamente politizado. (…)

    O ATO DO DESEMBARGADOR FAVRETO TINHA COMPETÊNCIA? CLARO. TODO MUNDO SABE QUE NO PLANTÃO OS ADVOGADOS, E ISSO FAZ PARTE DO JOGO, ESCOLHEM UM PLANTONISTA. Agora mesmo há a discussão se a Cármen Lúcia vai ser presidente [do STF] ou não durante o recesso. É isso aí. Escolheram um sujeito que tinha maior possibilidade ideológica. Ele estava na sua plena competência. Era o juiz plantonista indicado pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região. Naquele momento ele representava o tribunal.
    Eu posso não concordar com o teor, o conteúdo da decisão judicial. Basicamente porque não há nenhuma urgência ou nenhum fato novo que implique em um exame da matéria num domingo, sendo que no dia seguinte o relator da apelação originária já estaria trabalhando. ENTÃO A DECISÃO DO FAVRETO FOI UMA DECISÃO FUNDAMENTADA DE ACORDO COM A SUA CONVICÇÃO, COM SEU ENTENDIMENTO. E ISSO FAZ PARTE DO LIVRE CONVENCIMENTO DO JUIZ. Queira-se, concorde-se ou não. Eu não daria no mérito essa decisão, mas ela é legítima, o desembargador tem competência e é uma decisão judicial. Plantonista é instrumento do tribunal.
    ELE [MORO] SE MANIFESTOU EM UM MOMENTO INAPROPRIADO. Porque no caso da liminar ele seria ouvido. Pela lei, tanto a autoridade coatora quanto o MPF são ouvidos em um prazo de cinco dias. Ele, no entanto, ATRAVESSOU UM DESPACHO questionando a competência de um superior hierárquico seu. Afirmou falta de competência, afirmou que falou com o presidente do tribunal, afirmou que teria que ouvir o relator. Nada disso poderia ter sido feito.
    Quem menos errou aí, em termos de competência, em termos de processo penal, foi o desembargador Favreto, apesar de eu não concordar no conteúdo com a tese dele, porque não tinha urgência. E a questão está sendo examinada pelas instâncias superiores. Não dá para decidir isso num domingo. MAS ELE RESOLVEU, E ELE ESTAVA NO DIREITO, TINHA COMPETÊNCIA PARA TANTO, RESOLVEU ENFRENTAR A QUESTÃO. E no caso do HC o recurso não se confunde totalmente com a apelação no mérito, aquela que está sendo julgada pelo tribunal, e que tem recursos no STF e no STJ. O HC tem particularidades, é uma medida constitucional que tem particularidades, que foram desenvolvidas ali naquele HC. Certo ou errado, não interessa.
    Para mim, todas essas decisões foram decisões jurisdicionais. Certas ou erradas. E sendo decisões jurisdicionais podem ser atacadas pelo recurso cabível em matéria processual penal da legislação. Não se trata de infração disciplinar que mereça a atenção do CNJ.Houve um fundamento na decisão. O CNJ não é um órgão judicial, é um órgão administrativo disciplinar do Judiciário. Aqui se tratam de várias decisões judiciais, mesmo que quase todas formuladas de modo irregular.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*