O que a APP-Sindicato quer | Fábio Campana

O que a APP-Sindicato quer

Conversas sobre qualidade de ensino não são um forte dos debates da APP-Sindicato. Com pouca disposição para tratar do que acontece em sala de aula, a instituição se dedica a tratar da folha de pagamento. Dona da grande carteira do funcionalismo público do estado, as propostas sempre giram em torno de grana.
Representantes pediram nova reunião com a governadora, querem falar de mais salário e mais hora-atividade, aquela remunerada fora de sala de aula.


11 comentários

  1. Do Interior...
    segunda-feira, 18 de junho de 2018 – 17:44 hs

    A APP-PT quer os petistas livres da cadeia, mesmo os condenados e o restante presos, mesmo sem processos.

    Também quer a distribuição de cartilhas da seita vermelha, é a favor do aborto, contra a família e a favor da morte aos opositores do PT.

    E um bom salário, que ninguém é de ferro…

  2. antonio carlos
    segunda-feira, 18 de junho de 2018 – 19:09 hs

    O poder deste sindicato pelego do pestismo está no desconto em folha de pagamento da professorada. Se o Estado quer acabar com o poder deste sindicato pelego é deixar de fazer o desconto da contribuição na folha de pagamento, é tiro e queda, dentro de um mês o sindicato pelego do pestismo começa a piar bonitinho. Se fosse governador matava o sindicato assim, de mansinho e bem devagarinho, porque duvido que o sindicato pelego iria sair correndo atrás da professorada como estão fazendo os outros sindicatos e sindicalistas.

  3. Salvio
    segunda-feira, 18 de junho de 2018 – 20:28 hs

    Todo sindicato é assim…ou já viram sindicato de médico brigando por melhor saúde, de motoristas e cobradores brigando por melhor transporte ou de policiais brigando por mais segurança?

    Chega a dar pena a baixa capacidade de raciocínio e o infatilismo dessas “matérias”.

  4. marco Prof.
    segunda-feira, 18 de junho de 2018 – 20:31 hs

    Chega de conversa fiada. Queremos a nossa reposição salarial já.
    Não podemos esquecer que os grandes culpados pela não reposição salarial dos Professores foram : OS DEPUTADOS DO CAMBURÃO E O PÉSSIMO EX-GOVERNADOR CARLOS ALBERTO RICHA. As eleições estão aí, vamos dar o troco votando contra estes políticos.

  5. Jose
    segunda-feira, 18 de junho de 2018 – 20:39 hs

    governadora cai fora da Apt, politicamente não servem pra nada, converse com os professores e deixem esses … fora, esse bando não acrescenta nada. politicamente no Paraná, onde a Apt tá perde a eleição.

  6. zani
    segunda-feira, 18 de junho de 2018 – 21:17 hs

    Só pensam nisso, é por isso que o brasil investe 5,7% do PIB, enquanto o Japão 5% e nós estamos muito mal e eles bem.

  7. Xeroque Rolmes
    segunda-feira, 18 de junho de 2018 – 21:34 hs

    QUEM DEVE DISCUTIR AS MAZELAS DA EDUCAÇÃO PÚBLICA É O GOVERNO E SEUS DEPUTADOS, NÃO O SINDICATO

    AGORA VOCÊ QUER QUE OS PROFESSORES JÁ SOFRIDOS TRABALHEM DE GRAÇA?

  8. Roberto Oliveira
    terça-feira, 19 de junho de 2018 – 8:50 hs

    Que piada!!! Os vermelhos nunca, jamais se interessarão por nossas crianças!!! Pra eles quanto mais burros, melhor!! Não demorará muito pra vermos professor indo apenas uma vez por semana à escola. Afinal, é uma classe que “trabalha muito” e merece um descanso muito bem remunerado, é claro!! A maioria dos “mestres” foi transformada em doutrinador graças à ” luta” do sindicato. KKKKK. Pobre País rico que perdeu a vergonha e que faz com que nossos filhos queiram ir embora. Um dos motivos é este modelo de escola adotado pelos senhores professores que esqueceram o motivo que os faz estar em sala de aula: NOSSAS CRIANÇAS!!

  9. Edilson
    terça-feira, 19 de junho de 2018 – 9:36 hs

    Vendo alguns comentários, e a forma como as pessoas denigrem os professores, não resta dúvida. Nós merecemos os políticos de hoje, merecemos os filhos que temos. Simples assim, a maioria dos pais, não educam seus filhos, e querem que os professores o façam. Lamentável, é por isso, que continuaremos um país de terceiro mundo. É só ver o comentário do jornalista,só isso já diz tudo.

  10. O Observador
    terça-feira, 19 de junho de 2018 – 9:51 hs

    Vamos aos fatos:

    A APP- Sindicato deixou de ser uma entidade em defesa dos profissionais da educação há muito tempo. Infelizmente a ideologia política se sobrepõe ao interesse da categoria.
    Equiparação salarial é necessário sim: professor da rede pública não é valorizado como deveria. Não é justo comissionados ganhando quase 10 mil reais, absurdos pagos à certas esferas de governo e o professor na média ganhando 3 mil reais brutos para fazer 40 horas.
    Hora-atividade não é luxo ou frescura. Muitas vezes o professor trabalha nos 3 turnos e só tem aquele momento para corrigir provas e trabalhos de 40 alunos (cada turma) e preparar suas próximas aulas.

  11. Abismado
    terça-feira, 19 de junho de 2018 – 10:55 hs

    Toda vez que leio um blog, ele de direita, de esquerda, centro, o que me assusta é ver essa publicação voraz contra um partido (que roubou) e apoiando outros que roubam tanto ou até mais o que roubou, se dizendo isentos do problema do país. O problema do país é essa sua mente idiota, que sempre pensa em resolver um problema acusando alguém, uma classe ou dizendo eu não tenho culpa, votei nesse ou naquele. Você tem culpa sim, aceita o processo eleitoral que nos é enfiado goela abaixo, aceita salários exorbitantes de políticos e seus CARGOS COMISSIONADOS, aceita a quantidade de políticos que esse pais produz, e vem falar que “hora fora de sala de aula” não é direito, que um salário digno não é merecedor. Um Estado que aumenta exorbitantemente impostos para todos, indiferente da classe social que seja, desvios para todos quanto é lado, tudo o que pagamos não retorna o mínimo, tivemos um governador que ferrou toda a população com 60% de aprovação, sendo eleito em primeiro turno na última eleição, ahhhh ele não é PT, não desvia, não merece cadeia, continuem votando PSDB, estão no caminho certo.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*