Uma crise chamada Carmen Lucia | Fábio Campana

Uma crise chamada Carmen Lucia

Estadão,
A possibilidade de prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a decisão da presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia, de não pautar novamente julgamento sobre o cumprimento de pena após condenação em segunda instância agravaram a crise entre os ministros da Corte. Uma reunião que seria realizada nesta terça-feira, 20, para tratar do assunto acabou não ocorrendo, o que provocou reação do decano do STF, Celso de Mello, e deixou claro o impasse que divide os 11 ministros.

O decano afirmou que faltou pouco para que algum ministro apresentasse, durante a sessão da quinta-feira passada, uma questão de ordem que poderia levar ao novo julgamento das ações que tratam do tema mesmo sem Cármen Lúcia pautá-las.

Como o encontro não ocorreu, há a possibilidade de o tema voltar nesta quarta-feira, 21, ao plenário do STF. “A questão de ordem seria para que ela (Cármen Lúcia) designasse dia para o julgamento”, disse o ministro Marco Aurélio Mello, que é relator de duas ações e já liberou os processos para julgamento. “Precisamos sair desse impasse. Esse impasse não atende aos interesses institucionais. Não se tem almejado segurança quando os próprios integrantes do Supremo divergem em decisões. Isso gera uma perplexidade muito grande.”

A proposta de uma reunião entre os ministros, segundo Celso de Mello, tinha por objetivo evitar que se chegasse a esse ponto, o que ele classificou como “constrangimento”. “Nunca aconteceu na história do Supremo. Ao menos nos quase 29 anos que estou aqui”, disse o decano.

Em 2016, o Supremo já havia decidido, por 6 votos a 5, que o cumprimento de pena poderia ocorrer após condenação em segunda instância. Petistas e advogados afirmam que a prisão só pode ocorrer após o trânsito em julgado no STF. O tema voltou a pressionar a Corte com a possibilidade de prisão de Lula, mas Cármen Lúcia, a quem cabe definir a pauta, já reafirmou que não colocará em discussão. A resistência aumentou a tensão entre os ministros.

“Foi para evitar que a presidente sofresse uma cobrança inédita na história do Supremo, que eu ponderei aos colegas que seria importante uma discussão interna”, afirmou Celso de Mello, destacando que apresentou a ideia da reunião a Cármen Lúcia na quarta-feira passada, em conversa da qual também participou o ministro Luiz Fux. “Quem deveria fazer o convite é a presidente. Ficou combinado que ela, que aceitou a sugestão desse encontro informal, faria esse convite. Ontem (segunda-feira) e hoje (terça) não houve”, disse o decano ao ser questionado sobre o cancelamento da reunião.

Segundo a assessoria de Cármen Lúcia, ela concordou em participar da reunião, mas não entendeu que deveria convidar os pares. Ministros disseram ao Estado não terem sido chamados.

Advogados. Nesta terça-feira, 20, representantes de institutos de advocacia estiveram nos gabinetes dos ministros Alexandre de Moraes, Gilmar Mendes, Dias Toffoli e Marco Aurélio Mello para defender a necessidade de julgamento definitivo das ações. As entidades foram ao Supremo a convite do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, autor de uma das duas ações que tratam do tema. “Virou uma loteria. Quem entra com habeas corpus fica dependendo de quem vai relatar o pedido”, afirmou Fábio Tofic, do Instituto de Defesa do Direito de Defesa.

Também nesta terça-feira, o ministro Edson Fachin negou recurso apresentado pelo Instituto Ibero Americano de Direito Público contra a decisão do plenário sobre o assunto. Com isso, esses recursos não devem motivar uma rediscussão.


12 comentários

  1. PEDROCA DO SUDOESTE
    quarta-feira, 21 de março de 2018 – 9:19 hs

    Resumo da ópera..A thurma do STF favorável que fiquem livres os condenados em segunda instãncia pe que estão fazendo barulho. No fundo, o que querem é salvar seu LULA. O resto é bolodório. Pra quê ficar rediscutindo um assunto que foi discutido há pouco tempo ? Por quê não discutir o sexo dos anjos ?

  2. quarta-feira, 21 de março de 2018 – 9:20 hs

    COMO ASSIM, NÃO SÃO ELAS A NOSSA UNICA SAÍDA PARA TODAS ÁS CRISES NO MUNDO???

  3. PEREGRINO
    quarta-feira, 21 de março de 2018 – 9:23 hs

    Como bem diria o âncora Boris: “Isso é uma vergonha…”
    Estamos mal representados em todos os poderes da República….!!!
    Triste.

  4. ESTAMOS DE OLHO
    quarta-feira, 21 de março de 2018 – 9:26 hs

    ENQUANTO OUTROS SE APEQUENAM
    VOCE SE AGIGANTA MINISTRA NAO
    SEDA E DEUS TE PROTEJA.

  5. quarta-feira, 21 de março de 2018 – 10:13 hs

    Fundo do poço é aonde o STF chegou se é que existe limite para a nossa justiça.

  6. Observador
    quarta-feira, 21 de março de 2018 – 10:48 hs

    Intervenção no Judiciário já.

  7. Doutor Prolegômeno
    quarta-feira, 21 de março de 2018 – 12:28 hs

    Quem determina a pauta excelsa atualmente é o jornal nacional.

  8. TADEU ROCHA
    quarta-feira, 21 de março de 2018 – 12:39 hs

    ESTAMOS DE OLHO VOCE FALOU TUDO, GRANDE MINISTRA NÃO SEDA NADA, TEMOS QUE ACABAR COM ESSES ROUBOS…..

  9. BOTAFOGO PRESIDENTE.
    quarta-feira, 21 de março de 2018 – 13:05 hs

    Instalou-se no Brasil uma industria do golpe.me parece que querem seguir a risca o scriot,só que o povo não está aceitando.

  10. Rogério
    quarta-feira, 21 de março de 2018 – 13:14 hs

    Vergonha em mais de 190 países, a prisão ocorre logo na primeira ou segunda instancia, se for preciso faremos um projeto popular, alterando a constituição para que após a segunda instância, esses vagabundos comecem a cumprir a pena, tenho certeza que 90 % da população assina.

  11. Parreiras Rodrigues
    quarta-feira, 21 de março de 2018 – 13:36 hs

    Seda é um filamento usado pela indústria têxtil e é produzido a partir do casulo do bicho-da-seda. A região que mais produz casulos aqui no Paraná é a polarizada pelo município de Nova Esperança.

    Ceda – do verbo ceder – significa anuir, consentir, dar, oferecer, etc…

  12. Moisés Fróes
    quarta-feira, 21 de março de 2018 – 13:50 hs

    Na verdade, a crise se chama Toffoli, Março A. Mello(primo do Collor), Lewandowski, Gilmar Mendes e o decano pilanyra Celso de Melo que são corruPTistas de carteirinha. Todos safados, ladrões, corruPTos.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*