Câmara inicia discussão, mas adia votação da PEC da reforma política | Fábio Campana

Câmara inicia discussão, mas adia votação da PEC da reforma política

do G1

Câmara dos Deputados iniciou nesta quarta-feira (16) a discussão sobre a proposta de reforma política, mas, uma hora e 20 minutos depois, a sessão foi encerrada e a votação, adiada.

Segundo o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), havia o risco de não ter quórum suficiente para aprovar as medidas e, por isso, ele decidiu adiar a votação para a próxima terça (22).

“Tinha 430 [deputados], não tem como ter garantia de que vai ganhar nada. Tem que ter quórum, tem que ter 470 para votar uma matéria dessa. A decisão foi minha [de adiar]. Achei baixo [o quórum]”, disse Maia ao deixar o plenário.

“Achei melhor encerrar e deixar para a próxima semana. Até é bom porque a gente ganha um tempo para continuar debatendo os temas que estão se construindo”, acrescentou.

Questionado se faltou consenso, Maia respondeu. “Esse debate sobre reforma política gera muitas emoções. Estamos chegando ao ponto de que daqui vai se chegar ao ponto de dizer que o sistema atual, que é o responsável por grande parte da crise que vivemos, da falta de legitimidade que nós passamos, que ele é maravilhoso”, ironizou.

Por se tratar de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC), a reforma política precisa ser aprovada pelo plenário da Câmara em dois turnos e ter o apoio mínimo de 308 dos 513 deputados para, então, seguir para o Senado, onde também será submetida a duas votações.

Para as novas regras passarem a valer já nas eleições de 2018, precisam ser aprovadas pelo Congresso Nacional até 7 de outubro. Por isso, o Congresso corre contra o tempo.


3 comentários

  1. FUI !!!
    quinta-feira, 17 de agosto de 2017 – 5:12 hs

    Esta “reforma” política que nada mais é do que um belo “remendo”
    político tramita pela Camara como se fosse uma revolução para a
    remoção de tudo que está errado na política, mas como tudo aqui
    no país sempre as mutretas prevalecem vai tudo ficar pior do que
    está. É lamentável mesmo.

  2. Parreiras Rodrigues
    quinta-feira, 17 de agosto de 2017 – 12:32 hs

    Nas eleições próximas, essa cambada que se prepare. Enquanto ela trabalha em reforma política que atenda interesse próprio, a população trabalha na reforma DOS POLÍTICOS. Preparem-se para a enxurrada de votos brancos, nulos e de abstenções. É o que se ouve e em todas as rodas, nas saídas das missas, dos cultos, em torno das mesas de sinuca, nos intervalos do expediente.

  3. emilson pupo
    quinta-feira, 17 de agosto de 2017 – 13:12 hs

    Essa reforma política é uma reforma para os políticos, é uma vergonha nos contribuintes temos que bancar esse fundo bilionário para eleger esses caras que nada fazem em prol do eleitor. É uma vergonha, meu voto esses bando não ter mesmo.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*