Barbárie no Couto: Sete indiciados; Corintiano recebe alta | Fábio Campana

Barbárie no Couto:
Sete indiciados; Corintiano recebe alta

O torcedor corintiano brutalmente agredido durante o confronto com coxas-brancas foi liberado do hospital na tarde deste domingo (18) e segue agora para São Paulo. A informação foi confirmada durante entrevista coletiva realizada na Delegacia Móvel de Atendimento a Futebol e Eventos (Demafe) com a participação do secretário de Segurança Pública (Sesp), Wagner Mesquita. As informações são da Banda B.

– Confira, no Leia Mais, os vídeos da briga.

Inicialmente, o delegado Clóvis Galvão, responsável pelas investigações, havia recebido a informação de que uma pessoa tinha morrido na briga. “Ao chegar no estádio, essa notícia foi repassada para a imprensa sem uma confirmação. Posteriormente, os investigadores foram até o hospital e viram que não era nada disso, corrigindo o estado de saúde da vítima, que estava estável”, afirmou.

Prisão

Um dos envolvidos na confusão, suspeito de desferir os golpes mais fortes contra a vítima, foi preso em flagrante no meio da torcida organizada do Coritiba, ainda durante o primeiro tempo do jogo. Além dele, outros seis torcedores do Coxa serão indiciados pela agressão – destes, três já foram identificados. “O detido aparece nas imagens analisadas pela equipe da Demafe chutando a cabeça da vítima, um homem de 29 anos, que estava caída no chão e não conseguiu se defender”, disse Galvão.

De acordo com a polícia, a vítima desceu do ônibus, que estava estacionado ao lado do Estádio Couto Pereira, com o objetivo de confrontar a torcida organizada rival. Ela foi alcançada por eles e acabou brutalmente agredida.

Assim que a denúncia chegou até a delegacia, uma equipe foi designada para apurar o caso. Imagens de circuito de segurança foram analisadas pela equipe, que chegou até o principal suspeito poucas horas após o crime.

Na Demafe, o jovem confessou a autoria do crime. Ele é integrante da torcida organizada do Coritiba há bastante tempo e não possuía antecedentes criminais. O rapaz responderá pelo crime de tentativa de homicídio, que tem uma pena de oito a 20 anos de prisão. Ele aguarda à disposição da Justiça.

Ônibus teriam burlado a escolta

Segundo o secretário Wagner Mesquita, três ônibus e uma van de torcedores do Corinthians desviaram do caminho marcado para a escolta policial. “Esses veículos não acataram os procedimentos combinados e fizeram um trajeto diferente, passando muito próximo da sede dos torcedores rivais. Isso foi determinante para o grave incidente que resultou na lesão da vítima. É importante lembrar que nós mantemos um banco de dados de todos os integrantes das torcidas organizadas, com a ajuda da direção desses grupos, para coibir esse tipo de situação”, afirmou.

Ainda de acordo com ele, a Sesp já trabalha com a implantação de sistema de câmaras e acesso por biometria aos estádios como forma de combater a violência entre torcidas.

*Com informações da Polícia Civil


7 comentários

  1. Palpiteiro
    domingo, 18 de junho de 2017 – 18:55 hs

    Fora com as organizadas,. Lugar de bandido é na cadeia não no estádio.

  2. Russel
    segunda-feira, 19 de junho de 2017 – 7:38 hs

    Um a um nunca mais poderão pisar num estádio de futebol. E quando houver jogo na cidade, seja do seu time ou não, terá de comparecer à delegacia policial do seu distrito. O processo civilizatório recomendaria que em caso de qualquer tipo de violência que o jogo seja transferido para outra cidade. Este tipo de comportamento não tem nada a ver com futebol, por mais paixão que seu time inspire; isso é falta de mãe e pai amorosos, que transmitam valores.

  3. Credulino DÁlma
    segunda-feira, 19 de junho de 2017 – 8:27 hs

    É nojento o “esforço”do secretario e do comandante da pm querendo “minimizar” a violência made-in-curitiba: uh! vai morrê!.
    Se a caravana corinthiana errou o trajeto, dispensou a escolta ou queria o confronto, NÃO INTERESSA…
    O que interessa a todos os nós é que estes animais precisam ser punidos e as organizadas extintas. São um antro para cultivar a contravenção…

  4. Dionleno Silva
    segunda-feira, 19 de junho de 2017 – 9:43 hs

    Esse machão aí garanto que nunca viajou para assistir o Coritiba em outra cidade, independente do clube, lembrem a bárbarie dos atleticanos que furtaram uma loja de conveniência em Ponta Grossa. Torcida do Paraná Clube praticamente não tem nenhuma infração, claro que tem que se levar em conta que como é muito pequena a polícia sempre está em maioria e segura a onda.

    Lugar de marginal é em cana, o ideal seria colocar esses membros de torcida organizada que são presos, todos em uma cela comum ali eles podem resolver suas diferenças.

  5. Daniel
    segunda-feira, 19 de junho de 2017 – 10:42 hs

    Bom, inicialmente deveriam ser banidas as torcidas organizadas, pois quem é grande mantenedores dos mesmos, são os próprios clubes! posteriormente, deveriam ser punidos drasticamente, os clubes!
    Neste caso, portões fechados para ambos os times, todo o restante do campeonato.

  6. Fátima Souza
    segunda-feira, 19 de junho de 2017 – 11:37 hs

    Tem é que mostrar a cara desses marginais para toda sociedade, saber que são esses delinquentes , colocar fazer serviço de voluntariado em hospitais, asilos, etc…..

    Talvez assim aprendam o valor da vida, pq eles não valorizam nem a vida deles, imagine do próximo.

  7. Dionleno Silva
    segunda-feira, 19 de junho de 2017 – 14:17 hs

    Já fui de torcida organizada, mas não podemos generalizar que todos são bandidos, cerca de 5% é gente honesta e trabalhadora.

Deixe seu comentário: