Gestores de presídios foram maiores doadores de campanha de senadora | Fábio Campana

Gestores de presídios foram maiores doadores de campanha de senadora

unnamed

Crítica declarada da terceirização da gestão de presídios no Amazonas, a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) teve como doadores de sua campanha para a prefeitura de Manaus, em 2012, quatro empresas ligadas ao grupo que administra cadeias no estado do Norte. Somadas, as quantias chegaram a R$ 2,890 milhões, o equivalente a cerca de 20% do total recebido (R$ 13,450 milhões). Em nota, a senadora disse que todas as doações foram legais e declaradas ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). As informações são de Ruben Berta n’O Globo.

Para realizar as doações, foram usadas duas firmas com relação direta com a gestão de prisões no Amazonas: a Auxílio e a Rh Multi Service. A primeira fez as maiores doações: dois depósitos que somaram R$ 1,340 milhão. Já a Rh Multi colaborou com R$ 190 mil. As empresas são controladas respectivamente pelo presidente da Fecomércio-CE, Luiz Gastão Bittencourt, e por seu filho Luiz Fernando Bittencourt. Os dois empresários estão por trás de uma rede de 12 firmas que controlam direta ou indiretamente até hoje a gestão terceirizada de presídios no Amazonas. De 2010 até hoje, esse mercado já movimentou R$ 1,1 bilhão.

Outras duas empresas com sede no Ceará, que também pertencem à família Bittencourt, foram usadas para irrigar a campanha de Grazziotin: a Serviarm (R$ 360 mil) e a Serval (R$ 1 milhão).

Conforme o GLOBO mostrou no último domingo, a Serval também foi usada em 2014 para irrigar com R$ 1,2 milhão a campanha do atual governador do Amazonas, José Melo (PROS). A Auxílio doou outros R$ 300 mil.

No caso de Grazziotin, uma curiosidade a mais é sua postura crítica à privatização da gestão de presídios. Em artigo publicado na “Folha de São Paulo”, nesta terça-feira, ela chegou a citar o fato de as empresas terem doado para a campanha de José Melo.

“No Amazonas, há ineficiência da empresa privada que opera os presídios. Há sobrepreço do contrato (triplo da média nacional), que já consumiu, de 2010 a 2016, R$ 1,1 bilhão do dinheiro público, parte dos quais irrigaram campanhas do governador e seus aliados”, disse no artigo.

Em nota divulgada nesta quarta, a senadora disse que “com o objetivo de confundir a opinião pública, está sendo vítima de ataques nas redes sociais, onde buscam relacionar uma das empresas que doou para a minha campanha com outras que sequer fizeram parte da minha lista de doações”.

Grazziotin também afirmou: “Se o objetivo é me intimidar, não conseguirão, muito menos com ilações grotescas. Sigo firme no meu compromisso de fiscalizar as ações dos governos e de legislar em prol do bem comum”.

A senadora também voltou a fazer críticas à terceirização de presídios no Amazonas: “Como tenho cobrado publicamente, quem deve explicações, são os investigados na Lava Jato, nos casos de corrupção amplamente investigados pela Justiça; além do Governo do Amazonas e as empresas, pelas rebeliões e 64 mortes bárbaras, sem contar os fortes indícios de superfaturamento do contrato dessas empresas com o Estado, como apontam órgãos de controle e fiscalização”.


8 comentários

  1. ELEITOR
    quarta-feira, 11 de janeiro de 2017 – 17:14 hs

    PARA QUE O CUSTO DO PRESOS SEJA O DOBRO DOS OUTROS ESTADO É PORQUE MUITA GENTE GANHAVA DA EMPRESA, ALGUEM TEM DUVIDA? SE A EMPRESA GANHA POR PRESO DENTRO DA PENITENCIARIA , QUEM MANDA PRENDER?? QUEM FISCALIZA A EXECUÇÃO DA PENA? QUEM FISCALIZA AS PENITENCARIAS? E AI MEUS AMIGOS A COISA VAI………

  2. Do Interior....
    quarta-feira, 11 de janeiro de 2017 – 17:54 hs

    A “gralha” velha ficava defendendo a guerrilheira (contra o povo brasileiro) mas agora se vê o porquê.

    Como diz o ditado: quem defende fora da Lei…..

    A gralha pode até ter registrado os valores no TSE, mas o problema é se o dinheiro foi doado a troco de favorecimento em contratos. Isso a polícia vai descobrir….

    O Pessoal da esquerda, em geral, são honestos como o LuLLa!

  3. Larry de Camargo Vianna Nascim
    quarta-feira, 11 de janeiro de 2017 – 18:18 hs

    Explica-se assim o comportamento dela no Senado, tem medo de ir presa e ser aniquilada pelos bandidos que ela defende.

  4. Jorge
    quarta-feira, 11 de janeiro de 2017 – 21:27 hs

    A hipocrisia petista só perde para a hipocrisia pcdobista.

  5. FUI !!!
    quinta-feira, 12 de janeiro de 2017 – 6:11 hs

    A cara de pau desta senadora ao defender a Dilma com unhas e
    dentes me dá nojo. Na verdade a dinheirama que jorrou das facções
    para a sua campanha eleitoral são mais sujos do que nos roubaram
    da Petrobras. VERGONHA !!!!!!!!!

  6. PitBull
    quinta-feira, 12 de janeiro de 2017 – 10:27 hs

    e DEPOIS POSA DE SANTINHA….HAJA ENGOVE

  7. QUESTIONADOR
    quinta-feira, 12 de janeiro de 2017 – 12:34 hs

    -Então o massacre dos apenados dos presídios do Amazonas são apenas a ponta do iceberg…tem mais coisa envolvida então??? As reportagens ainda são superficiais sobre este tema….vamos aguardar os novos capítulos e até onde será aberta uma investigação completa.

  8. Borgonzolo
    quinta-feira, 12 de janeiro de 2017 – 19:42 hs

    Ninguém é “santo” no Parlamento brasileiro.

Deixe seu comentário: