Com desembargador, denúncia de fraude de cartorário | Fábio Campana

Com desembargador, denúncia de fraude de cartorário

A documentação completa está no site http://cartorios.blogspot.com.br/. O desembargador Irajá Prestes Mattar tem em suas mãos um caso clamoroso de fraude que atinge o titular do 6° Cartório de Protestos de Curitiba, José Carlos Fratti, e de outro em Maringá que hoje se encontra sob titularidade de sua esposa, Zuleika Maria Leandro Fratti, e ainda o 5° Tabelionato de Notas de Cascavel sob a titularidade da filha, Maria Paula Fratti e, por meio de remoção, a titularidade do 6º Tabelionato de Protesto de Curitiba.

A denúncia, calçada em provas documentais, mostra que José Carlos Fratti apresentou documentos de qualificação para o cargo, entre eles a conclusão de curso universitário na Faculdade de Direito de Itapetininga. O histórico escolar dessa faculdade informou que José Carlos Fratti teria cursado parte do Curso Superior de Ciências Contábeis, da FAFIPAR.

Acontece que a FAFIPAR emitiu certidão que José Carlos Fratti jamais prestou vestibular na instituição e que seu histórico escolar apresentado em Itapetininga é fraudado e serviu para encaminhar sua formação em Direito na Faculdade paulista, conforme certidões. No mundo do Judiciário e dos cartórios não se fala em outra coisa.


13 comentários

  1. curitibana
    sexta-feira, 19 de outubro de 2012 – 12:22 hs

    FACULDADE DE ITAPETININGA, SP, ãhm, e so buscar que tem mais cartorario “formado” nessa instituição.

  2. Doutor Prolegômeno
    sexta-feira, 19 de outubro de 2012 – 12:42 hs

    A vergonha real consiste na manutenção dos cartórios privados, vitalícios. É uma infâmia, sobretudo, quando se tratam dos cartórios judiciais. Quase todos os estados brasileiros já estatizaram seus cartórios judiciais, mas, o Paraná – que é mais coronelista que os estados do nordeste – ainda os mantém privados, em sua imensa maioria. Nos EUA qualquer farmacêutico do interior presta juramento e é empossado como notário., para testemunhar atos civis, sem a necessidade de todo um ritual e uma estrutura nababesca e medieval.

  3. Zero
    sexta-feira, 19 de outubro de 2012 – 13:18 hs

    Esses cartórios que deveriam ser estatizados ha muito tempo estão geralmente em mãos de apadrinhados políticos e oferecem um atendimento sofrível parece que nos fazem um favor qdo nos atendem, isso tudo é indignante.

  4. Luiz
    sexta-feira, 19 de outubro de 2012 – 13:26 hs

    Cartorio no Parana é um caso de policia!!!! são as mesmas familias que dominam este terreno e caso coms estes sao bastante comum…. Sera que a onda de moral nao chega neste pessoal…. e olha, façam o favor de pedir uma nota fiscal dos serviços prestados… alem de tudo sao sonegadores de impostos…
    Vamos acabar com esta maracutaia!!!!!
    Luiz

  5. Kacetada
    sexta-feira, 19 de outubro de 2012 – 13:46 hs

    Já fechou? por que não? Esperam o que?

  6. sexta-feira, 19 de outubro de 2012 – 13:48 hs

    Isto é uma verdadeira vergonha nacional, duvido que se o poder publico vistoriasse todos os diplomas que estes cartorários apresentaram para assumir estes cartório não iriam encontrar irregularidade, hoje em dia se compra diploma como se compra um veículo, basta ter dinheiro e procurar a pessoa certa para ver a facilidade que é. Acredito que em todo o Brasil os cartorios deveriam serem Público e seus servidores deveriam ter ganho fixo e ser concursados, isto sem falar da exploração monetária que se pratica nos mesmos, é um absurdo quando se precisa dos serviços destes cartorios, tem dono de cartório que ganha desde 10.000,00 até 200, 300 mil ou mais, uma verdadeira maquina de fazer dinheiro que deveria acabar.

  7. rodrigo
    sexta-feira, 19 de outubro de 2012 – 13:54 hs

    Tem que acabar com essa cambada de vagabundos e jaguaras existentes no Paraná.

  8. luiz
    sexta-feira, 19 de outubro de 2012 – 15:17 hs

    A Corregedoria Geral do Estado, deveria fazer um pente fino no funcionalismo público, inclusive nos aposentados.
    Volta e meia, esse tipo de coisa acontece, é possível que muitos estejam na moita.

  9. Ed
    sexta-feira, 19 de outubro de 2012 – 16:07 hs

    O próprio nome “cartório” já diz tudo. Cobram taxas exploratórias da população, as quais vão para seus bolsos, e ainda, seus titulares se aposentam às custas do contribuinte, como funcionários públicos. Isso tem que acabar. O certo seria o cartório ser púlico e seu titular ser um Promotor de Justiça.

  10. TONHÃO 2012
    sexta-feira, 19 de outubro de 2012 – 17:15 hs

    ISSO SEM FALAR NA ROUBALHEIRA DOS PREÇOS PRATICADOS PELOS CARTÓRIOS,E NINGUÉM FAZ NADA.O POVO QUE PAGA A CONTA… ASSIM É O BRASIL DO PT, PELO QUE SE VÊ VAI LONGE…

  11. kiko
    sexta-feira, 19 de outubro de 2012 – 19:57 hs

    É, e daí, fica por isto mesmo? Porque se faz um escarcéu, montam-se inquéritos, e depois o povo esquece e se salvam todos. E nada acontece. como sempre. E por que ainda temos est eccrescência do Brasil Colônia entre nós? O serviço notarial poderia ser prestado pela Justiça, afinal de contas os titulares de cartórios e tabelionatos são legalmente serventuários da Justiça. Mas as nossas Corregedorias vão fazer aquela onda e vai ficar tudo como sempre esteve. Vivemos em Pindorma, a Terra de Macunaíma, o Herói Sem Nenhum Caráter. ACarlos

  12. Eduardo Pereira
    sexta-feira, 19 de outubro de 2012 – 20:35 hs

    Tonhão , ate isso é por conta do PT? Menos amigo, menos…Ate onde me lembro os preços de custas cartorarias são determonados nos estados. Posso estar errado mas ha pouco tempo aqui foi feito um aumento gigantesco das custas que não aconteceu em outros lugares. Me parece mais que esse problema tem ligação com nosso governo estadual e com a assembleia do que com o governo federal. Alguem pode esclarecer essa questão? quem determina o custo dessse tipo de serviço:?

  13. jose carlos tomaz
    domingo, 10 de fevereiro de 2013 – 9:00 hs

    queria que os cartórios fossem fiscalizados,mas isso não acontece . em nova friburgo região serrana do rio de janeiro tem coisas acontecendo,e ninguém toma providencia . invasão de terras ,desmatamentos e o cartório registra tudo por debaixo do pano . temos dificuldades de fazer denuncias ,pois temos que ter sigilo absoluto e não sei se tem 1 são pessoas perigosas. aqui fica somente um desabafo ! grato. carlos

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*