Alunos filmaram cena de sexo no banheiro do Colégio Estadual | Fábio Campana

Alunos filmaram cena de sexo no banheiro do Colégio Estadual

normal_CESTADUAL

Garota de 13 anos e dois rapazes teriam feito sexo em horário de aula. Os alunos foram afastados. Estudante colocou imagens na internet, mas vídeo já foi retirado.

Do G1, em São Paulo, com informações do Portal RPC:

Um vídeo de sexo entre alunos dentro do banheiro do Colégio Estadual do Paraná (CEP), a maior escola pública do Paraná, foi parar na internet. Três estudantes, dois rapazes e uma garota de 13 anos, teriam deixado a sala, em horário de aula, para praticar sexo no banheiro. O caso veio à tona nesta quarta-feira (21) em Curitiba.

Um dos estudantes gravou toda a cena e colocou as imagens na internet. O vídeo já foi retirado da rede, mas circulou livremente pelos celulares dos alunos do colégio. O caso virou tema de discussão entre os alunos na comunidade do colégio em um site de relacionamentos.

De acordo com o telejornal ParanáTV 1.ª edição, o assunto está proibido no colégio. Os alunos de todos os períodos estão sendo alertados das consequências da divulgação do vídeo. A direção do colégio informou que os três estudantes estão afastados do colégio, mas cumprindo as atividades escolares em casa.

O caso está sob os cuidados sobre a Delegacia do Adolescente, mas as investigações são sigilosas. Para a Secretaria de Estado da Educação (SEED), casos como este devem ser combatidos com informação.

“Nós temos ainda um índice muito alto de gravidez na adolescência, de incidência de doenças sexualmente transmissíveis e tudo isso por uma experiência de sexualidade precoce. Então, a conversa é muito importante para que eles entendam quais são os riscos de atos impensados”, disse Alayde Digiovanni, superintendente da Secretaria de Educação.

Para a educadora Lizia Naguel, o problema não está relacionado só com educação sexual. “O problema é de responsabilidade, educação para a cidadania, de respeito pelo próximo”, disse a educadora, em entrevista ao telejornal.

Ela conta que situações semelhantes já aconteceram em outros estados. “Não é inédito, não é exclusivo do Paraná e vem crescendo com o silêncio dos educadores, das instituições de educação e do governo”, afirmou.


36 comentários

  1. CURTA E FINA
    sexta-feira, 23 de outubro de 2009 – 22:01 hs

    ESSA DISCUSSÃO FILOSÓFICA DOS BODES E CABRITAS…

    DÁ QUEM QUER…..HJ EM DIA NÃO ME VENHAM DIZER QUE EXISTE COISA FORÇADA…..

    CONCORDO COM O JOÃO…..A MENINADA DE 13, 14 ANOS SABE MUITO MAIS QUE NÓS NESSA IDADE…..SABEM PORQUE RSRSR PQ ELES FORAM “VIVER” FORA DO AMBIENTE FAMILIAR MUITO PRECOCEMENTE…..

    E ESSE AMADURECIMENTO PRECOCE, SEM LIMITES DEU-LHES O DIREITO DE AGIREM COMO ADULTOS……E AS COISAS TÃO AÍ ÓHHHH PRA QUEM QUISER VER….ÍNDICE DE GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA AUMENTANDO……CRIANÇA GRÁVIDA DE CRIANÇA!!!!!! PEGAM OS FILHOS NO COLO COMO SE FOSSE BONECAS…..
    PARA OS PAIS NÃO SÃO NETOS…SÃO MAIS FILHOS…

  2. sábado, 24 de outubro de 2009 – 14:12 hs

    De quem é a culpa?????????????????????????/
    A sim, estão dizendo que é dos pais!
    A sim, estão dizendo que é da escola!
    A sim, estam dizendo que é o governador!
    De quem é a culpa?
    Tem tido debate, seminário e palestras na escola sobre a sexualidade?
    Os pais ganham tão bem que as mães podem ficar como antigamente em casa cuidando dos filhos?
    Ah! Não existe separação entre o casal?
    Quem fica com os filhos não precisa trabalhar?
    Ah! Acho que se só os pais tem a responsabilidade de formar e ensinar a educação, a leitura, a escrita, o comportamento humano?
    Então por que existe escola? Porque existem instituições publicas onde os nossos impostos são investidos?
    De quem é a culpa?
    Dos jovens e adolescentes que estão largados pela escola, pela família e pelas políticas publicas.
    Esse e outros fatos devem ser refletidos e cada um assumir o seu papel de formador, educador, pai e parar de um jogar a culpa no outro, mas a partir disso pensar em ações que diminuam os problemas!
    Tem pais que não sabem o que fazer!
    Professores despreparados!
    Um governo omisso!
    Cade uma fonte de apoio para a escola e para as famílias com psicologos, psiquiatras, advogados?
    É preciso rever e já o papel de cada esfera: política, escola, família, juridico!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  3. Sanchesp
    sábado, 24 de outubro de 2009 – 20:49 hs

    Bom esse é o resultado de uma sociedade cada dia mais capitalista, porque, explico: Os pais acham que moral e bons costumes e dever das escolas ensinarem, para nossas crianças, mas eles se enganam, deviriam prestar mais atenção em casa deixando um tempo ou melhor reservando tempo para seus filhos ensinando que o que é certo e que é errado, agora deixam os filhos soltos como animais ai a gente nem pode estranhar essas atitudes dos jovem.
    Resumindo senhores pais, observem seus filhos melhor acompanhe a educação deles e eduquemos melhor.

  4. wallace
    segunda-feira, 26 de outubro de 2009 – 13:59 hs

    eu acho que os pais incentiva

  5. Mari
    segunda-feira, 26 de outubro de 2009 – 17:40 hs

    Me pergunto sempre qual o motivo que leva os meninos a colocar na rede a sacanagem??!!Será que odeiam a menina?Será que imaginaram que difamá-la seria legal?Não fizeram sexo juntos? Não estavam de pleno acordo? Está certo que não era hora e nem local, que são jovens demais e etc, mas…assim como no episódio que vi recentemente em uma de nossas faculdades particulares, onde o fato ocorria entre maiores, qual é a vantagem de destruir a garota colocando o vídeo na rede? Acredito que os meninos que fazem isso devem gostar mesmo é de homem, pois se gostassem de garotas não as tratariam assim…Queriam posar de “garanhão” e colocar a menina como “galinha”, grande coisa!!!

  6. Prof. Wanderley José Deina
    terça-feira, 27 de outubro de 2009 – 14:56 hs

    Em 2004 a volta do Ensino Fundamental foi ponderada em uma assembléia de professores que foi convocada pela então diretora Elza, porque era desejo do então secretário Maurício Requião, junto com os professores de Educação Física. Bem, eles pretendiam fazer do CEP uma “fábrica de atletas”. Vejam o investimento público no setor de esportes naquele colégio. Por maioria esmagadora, ficou deliberado que o Ensino Fundamental não deveria existir no CEP, com uma ampla argumentação que justificava essa decisão. Um dos argumentos era justamente a dificuldade em se administrar a diferença entre alunos de Fundamental e Ensino Médio diante da grandiosidade do CEP. Questionávamos exatamente a possibilidade de acontecerem episódios como este do “banheiro”. Tínhamos consciência de que a responsabilidade era nossa, como educadores, de administrar a escola para evitar este tipo de situação. Madselva já entrou com a missão de colocar o Ensino Fundamental, custasse o que custasse. Sequer levou em consideração o pensamento da comunidade. Assim, cooptou o CONSELHO ESCOLAR para que aprovasse o retorno do EF. Um conselho eleito pela comunidade, mas que traiu está mesma comunidade que o elegeu. Em troca, alguns “conselheiros” ganharam cargos e benesses na Direção da Madselva para votarem contra a vontade dos colegas. De quem é a responsabilidade? Da Direção Geral? Sim, pois forçou o retorno do Ensino Fundamental sem que houvesse a menor condição para isso. Mas também da comunidade que permitiu que isso acontecesse. Votamos mal em nossos conselheiros. Estes devem olhar para o episódio do banheiro sabendo que sua decisão, de referendar a vontade de Madselva e Maurício Requião, permitiu que isso viesse a ocorrer. Uma menina de 13 anos? Fácil dizer que “elas já sabem o que querem”, como justificativa para os nossos próprios erros. Nós somos os responsáveis, pois nós somos os adultos e nós tomamos as decisões que dizem respeito ao destino deles, os menores.

    Além disso, houve os protestos de “fora Madselva”, para que as coisas não chegassem aonde chegaram, mas que contaram principalmente com os alunos e alguns professores e funcionários. Faltou o envolvimento da maioria dos professores, bem como dos pais que, provavelmente, “têm mais o que fazer” do que se preocupar com a escola em que seus filhos estudam. Estes também têm a sua responsabilidade, no mínimo pela omissão num momento político da instituição, em que se clamava por democracia. Mais fácil deixar tudo nas mãos dos alunos, não é? Se os pais e demais professores tivessem se envolvido, Madselva já estaria muito longe do CEP.

    Para mim, a saída está na democratização do Colégio Estadual do Paraná. A atual direção não tem a menor credibilidade perante a comunidade, apenas o apoio de um governo que já se aproxima de seu fim. Este governo vai acabar e Madselva vai, naturalmente, sair… Mas o que vem depois? É a comunidade quem precisa decidir e não os interesses dos mandatários políticos do Estado do Paraná. Quem vai consertar os estragos que esta senhora causou no Colégio Estadual do Paraná?

    Sou ex professor do CEP, ex Diretor Auxiliar e ex paranaense. Estou morando na Bahia, em Salvador, trabalhando como professor de Filosofia em Regime de Dedicação Exclusiva no Instituto Federal de Educação da Bahia. Já não pertenço mais a comunidade do CEP, mas faço parte de sua história. Meu coração se enche de indignação por saber destas coisas, uma notícia triste que chegou aqui na Bahia. Não é nenhuma surpresa, se for levado em consideração a maneira inconseqüente com que o CEP vem sendo administrado. Democracia já!

  7. Andressa Tavares Penkal
    terça-feira, 27 de outubro de 2009 – 20:44 hs

    eu achei isso uma porcaria, inútil, o que a garota ganha com isso, dois ainda, que porca sério, se fosse minha filha teria vergonha, me sentiria humilhada, sério, isso foi o fim!

  8. Manuel Leite
    quarta-feira, 28 de outubro de 2009 – 12:45 hs

    E agora ?? Aos pais libertos da “falsa moralidade”, que tal oferecer preservativos aos filhinhos???
    Que tal uma discussão séria sobre valores morais, ainda há tempo!!! Talvez não tenha sido a 1ª , mas pode ser uma das últimas, está na hora de agirmos como pais, irmãos, educadores.

  9. alessandra
    sexta-feira, 30 de outubro de 2009 – 17:57 hs

    nossa eu quero tanto entrar
    nesse colegio nao consigo mais quem consegue
    faiz umas coisas dessas
    eu acho um abisurdo

  10. thaina
    sexta-feira, 30 de outubro de 2009 – 18:26 hs

    eu acho isso uma vergonho eu que quero entrar
    nesse colegio e tao complicado e essas pessoas
    que entrar ai fazem isso
    e uma vergonha eu acho que eles tinha que dar chanse para aquelas pessaos que nao tem oportunidade de entrar
    nesses colegio e tirar essas pessoas que fazem isso

  11. Berg
    sexta-feira, 30 de outubro de 2009 – 23:59 hs

    Agora serei o cítico da vez.

    Pessoal; vamos deixar de lado o bate boca porque a coisa realmente exige uma ação.
    Toda a sociedade já esperava que com a globalização as mudanças de hábitos seriam afetadas radicalmente.
    Com a internet todo o conteúdo existível no universo pode ser acessado por qualquer pessoa independente de idade a qualquer hora do dia ou da noite. Isso já é uma das causas deste tipo de comportamento.
    Os pais ainda continuam se esquivando de seus filhos quando o assunto é sexualidade. Quando deveriam instruir e participar ativamente deste ‘tabu’ durante todo o processo de crescimento e amadurecimento de seus filhos.
    Quando a familia falha neste quesito (citado no parágrafo anterior); o jovem fica a mercê de todo tipo de informação e instrução incorreta. Aprendem com os ‘amiguinhos’, com a tv, internet e sabe-se lá com que mais. A partir daí surge a curiosidade, vontade e consumação, respectivamente.
    É importante salientar que esse periodo inicia-se com a socialização, desde a entrada na escola, quando todos ficamos frente a frente com colegas de diferentes personalidades, hábitos e costumes. A partir desta socialização, a familia deve-se participar do processo de interação do filho com as demais pessoas; instruindo para ponderar com quem anda, conversa ou faz amizade.
    Sabemos muito bem que isso ocorre com a influência sociável. Devemos atribuir, com uma certa parcela, a culpa aos pais que certamente não participaram ativamente da vida sexual dos envolvidos.
    Sabe-se também que a escola é uma formadora de opinião, crítica e principalmente de cidadãos. Com certeza com disciplinas que envolvesse a discussão destes temas a mentalidade dos alunos seria completamente diferente, pois entenderiam os riscos, necessidades, privacidade, educação e acima de tudo pudor.
    A boa formação pcicologica atribuída pela escola também seria de alto valor na mudança nestes fatos.
    Mais adiante temos (sim) a culpa governamental que não proporciona um ensino de qualidade. Apezar a referência do colégio, o mesmo não teve o mesmo prestigio em formar uma opinião mais correta sobre o assunto.

    Posso afirmar que é uma questão de cadeia fechada. Uma subida de degraus em que a culpa recai: Aos alunos, aos pais, a escola e ao governo. Mas não sejamos hipócritas, não vamos exagerar pondo a culpa com exesso nestes supracitados. Deve-se ponderar que a sociedade está mudada e as opiniões que ela expressa influenciam a todos; a única diferença é com que intencidade nos deixamos ser afetados pelas más influências.

    Infelizmente este é somente mais um caso. Tantos outros vinheram e virão se continuarmos alienados não educando os nossos filhos, se continuarmos deixando de participar na socialização deles, se a sociedade continuar de mal a pior (como anda caminhando)… e tristemente… se os governantes continuarem de braços cruzados ou comendo pizza e enchendo seus bolsos com nosso suado dinheirinho o qual somos forçados a “investir” em algo que parece não dar retorno.

    Vergonha? Não, lamentos.

    Berg

  12. sábado, 31 de outubro de 2009 – 11:27 hs

    q vergonha .
    o diretor deviria ser expusso
    da escola .
    por má encopetencia.

  13. Daniel
    terça-feira, 3 de novembro de 2009 – 20:43 hs

    To com o Rorschach. Esse mundo tá fudido, o ser humano é podre em todos os sentidos. Não duvido da possibilidade grotesca que daqui algumas decadas a pedofilia seja normal. Ainda bem que vai todo mundo morrer mesmo. E Dr. Manhattan tb tem razão, a existência de vida no universo é supervalorizada. A humanidade ta aí e só faz merda. Sem nós o universo seguiria perfeitamente bem, e nossa extinção não seria nem relevante.

  14. \/\/!LL**mother fucker**
    quarta-feira, 4 de novembro de 2009 – 9:29 hs

    malukos…
    talvez e axo q eu tenho certeza q esse mundo tah perdido¬¬..
    como é q os retardados vaum fazer uma coisa dessas e vaum mandar pra net..
    eu vi o vídeo..
    são tudo um bando de cabacinhos..
    são crianças..
    naum da nen pra falar adolecentes..
    q não tem educação em casa¬¬..
    É PRA ACABA!!

  15. dudu
    terça-feira, 10 de novembro de 2009 – 15:14 hs

    onde eu encontro esse vídeo???

  16. domingo, 22 de novembro de 2009 – 12:38 hs

    Tenho acompanhado esse caso assim como outros, não queria comentar, mas se não escrever acho que vou surtar! Tem um monte de explicações psicológicas, “ah, é falta de valores”, “ah, é a mídia”… Enfim, um monte de besteiras! A verdade é que por mais que cada um dos fatores citados por todos possa e venha à contribuir pra essa putaria generalizada que anda acontecendo com a juventude, a culpa mesmo é dessa merda de estatuto da criança que protege essa vagabundada e pune os pais que tentam educar. Esse papinho de psicólogo de que criança não pode levar umas tapas é que está colocando a gente nesse buraco. Quando criança eu e muitos da minha geração tomamos uns tapas quando fizemos “merda” e ninguém morreu ou ficou traumatizado por causa disso! Se essa turminha tivesse medo de levar uma boa “surra” eu duvido que tinham se arriscado ao ponto de gravar vídeo!

  17. verediane!
    terça-feira, 8 de dezembro de 2009 – 18:31 hs

    eu acho isso uma pok vergonhah essa meninah naum tem vergonhah na kra pois se tivese naum faria isso dentro do banheiro do colegio com dois muleques!
    elah naum levo umas palmadas quando era pequena…e eu acho q esse pessoal ai q está concordando com isso é porq naum aconteseu com os filhos deles!!!
    e concordo com vc Leonardo Rodrigues…….

  18. mauro david
    quinta-feira, 17 de dezembro de 2009 – 13:46 hs

    manos eu quero ver o video ,
    alguem tem o link para download¿

  19. graciane lima pinheiro
    terça-feira, 5 de janeiro de 2010 – 17:43 hs

    isso e palhasada ta isso ela acha lindo para cara dela
    uma muleca dessa fasendo isso eu tenho 30 anos aminha filha tem 16 anos ta no 2 ano na escola dela e não tem esse fogo isso e mãe que não tem responsabilhida eu so falo isso

  20. Anônimo
    quarta-feira, 14 de abril de 2010 – 13:36 hs

    já transei no colego i dai

  21. terça-feira, 15 de junho de 2010 – 14:39 hs

    E MUITO BOM FAZER ISSO MAS NAO NA ESCOLA RSRSRSRSRSRSRSRSRSRSRSRSRSRXRS

  22. quinta-feira, 14 de abril de 2011 – 21:55 hs

    hahahaahahahhahahahhahahahah

  23. quinta-feira, 14 de abril de 2011 – 21:58 hs

    muito bem é pra fazer nós quem damos exemplo

  24. segunda-feira, 30 de maio de 2011 – 19:22 hs

    eu tan bem gosto de sexo mais dentro do banheiro da escola e muito fei e um abisurdo brenda ribeiri do santos cardosos

  25. Anônimo
    segunda-feira, 30 de maio de 2011 – 19:24 hs

    eu odei sexo sou virgem brenda

  26. Romeica
    terça-feira, 23 de agosto de 2011 – 21:11 hs

    Rídiculo culparem os professores por causa disso…era só o que faltava! Professores terem que fazer ronda nos banheiros enquanto dão aula! Muita ignorância!!!! Como sempre a corda quebra no lado mais fraco…Não é culpa de ninguém! Se não fosse no banheiro da escola, seria num outro local pouco movimentado….poderia até ser na sacristia! Deveria culpar o professor se fosse o sexo tivesse sido feito na sala de aula com sua presença e consentimento…mas no banheiro, enquanto ele estava dando aula numa sala superlotada???? Me poupe!!! Somente uma pessoa muito imbecil poderia acreditar que o professor tem alguma responsabilidade sobre isto! A solução é: no horário de aula ninguém vai ao banheiro e estes permanecem fechados….quem de verdade passar mal, antes terá que pedir socorro!!!!

  27. lucas louco
    domingo, 28 de agosto de 2011 – 13:30 hs

    isso é um insulto

  28. chaid
    quarta-feira, 26 de outubro de 2011 – 16:38 hs

    muito ridiculo

  29. roseane costa
    sábado, 26 de novembro de 2011 – 16:23 hs

    isso é consequência da banalização do ser humano, das relações, da própria vida, da privacidade, dessa liberdade de tudo, de não sei o que, falta de respeito mesmo, por si e pelos outros, o preço a ser pago por tudo isso vai ser muito cora, pra todos os lados. não existe mais cidadania, hoje as escolas estão muito ocupadas em resolver questões particulares ou sociais dos seus alunos, das familias da comunidade dos seus alunos, do que ensinar, quando formam , formam “profissionais” não cidadãos. A inversão de responsabilidades, de valores, tudo hoje é problema social, a sociedade que resolva, e os pais?, e a família?, se é que ainda existe. Precisamos resgatar valores e responsabilidades, a moçada quer fazer tudo, acha que pode tudo, que tal assumir as consequências também, responsabilidade ninguem quer,É uma pena, hoje o jovem tem tantas oportunidades, recursos, mas não aproveitam. Estão banalizando suas proprias vidas. Que futuro????

  30. daniel
    domingo, 1 de janeiro de 2012 – 1:42 hs

    como pode alunos sem falta de vergonha na cara tem que pegar um aluno dese de sinta bater ate ele aprender uma pessoa desa não tem futuro eu fico furioso isso e falta de ensinamento dos pais tem que ser punidos e só não ponhar na escola ai vai ser um buro não sabe dar valor nas coisas que tem

  31. daniel
    domingo, 1 de janeiro de 2012 – 1:45 hs

    quem acha que isso e brincadeira ou piadinha tem que tomar vergonha na cara

  32. quarta-feira, 11 de janeiro de 2012 – 22:43 hs

    eu acho isso uma pouca vergonha!

  33. fagner
    sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012 – 18:22 hs

    fazer sexo é muito bom !
    mas tem que ter hora local e consiência do que ta fazendo
    escola é lugar de estudar .
    sexo a gente faz em casa ou motel .

  34. Nascimnto
    quarta-feira, 23 de maio de 2012 – 10:46 hs

    Fico cada vez mais assustada com esse tipo de notícia. Não adianta culpar apenas os professores. Primeiramente, a educação deveria vir de casa, mas a maioria dos pais está deixando de cumprir suas responsabilidades e empurrando para a escola. Em contra partida a educação brasileira está muito sucateada, com muitos privilégios aos menores e pouco ou nada de respeito aos semelhantes. Nem os educadores sabem mais o que fazer! O sistema educacional deveria mudar em tudo e rápido!

  35. miriam
    sexta-feira, 8 de agosto de 2014 – 14:02 hs

    falta de vergonha q isso!!!!!!!!
    mais acho muitooo bomm

  36. estudante
    sexta-feira, 19 de setembro de 2014 – 16:12 hs

    sou estudante e não tenho nada contra sexo e bom e bom demais adoro principalmente na escola

Deixe seu comentário: