Fábio Campana | Política, cultura e o poder por trás dos panos.

O DEM renasce

por Merval Pereira

Jurado de extinção por Lula quando ainda era o presidente popular que elegeu o poste Dilma em 2010, ameaçado pela criação do PSD de Gilberto Kassab em 2012 que o desidratou, o DEM, antigo PFL, teve que trocar de nome para tentar se modernizar, parecia carta fora do baralho partidário, mero coadjuvante do PSDB, e hoje se torna o peão de uma possível reformulação partidária que uniria inicialmente dissidentes do PSB para, mais adiante, ser o embrião de um novo partido que acolhesse dissidentes de outras legendas, até mesmo do PSD de Kassab.

Tudo por uma máxima da política, a expectativa de poder. A eleição do deputado Rodrigo Maia para a presidência da Câmara na substituição de Eduardo Cunha transformou-o na bola da vez da política brasileira, diante da possibilidade real de que o presidente Michel Temer venha a ser retirado da presidência por um processo no Supremo Tribunal Federal.

Leia Mais »

Janot analisará trocas de cargos por voto se houver ‘desvio de finalidade’

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, disse nesta quarta (19) em Washington que vai analisar as mudanças de cargos feitas pelo governo para garantir votos na Câmara contra a denúncia sobre o presidente Michel Temer se houver “desvio de finalidade”.

“Se é um jogo político, isso faz parte do jogo político. Agora, se houver um desvio de finalidade, nós vamos analisar para ver o que se passa e em que extensão se passa”, disse Janot ao ser questionado sobre reportagem da Folha mostrando que o governo já começou a promover as primeiras trocas de cargos. As informações são da Folha de S. Paulo.

Composição do TSE em 2018 tende a dificultar recurso favorável a Lula

Guilherme Amado, O Globo

Caso Lula seja condenado pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) depois de ser aberto o prazo de registro de candidaturas para a eleição de 2018, a defesa do ex-presidente recorrerá ao TSE.

Caberá à corte eleitoral decidir se o mantém ou não candidato, diante de uma condenação depois de ele ter se registrado.

Mas a composição do tribunal no ano que vem terá três ministros do STF que são pouco afeitos a saídas políticas e heterodoxas como a recente absolvição da chapa Dilma-Temer.

Em 2018, estarão no TSE Rosa Weber, Luís Roberto Barroso e Edson Fachin.

Doria diz que está sendo ‘enxovalhado’ por Ciro Gomes

Radar On-Line, VEJA

A queixa-crime que João Doria registrou contra Ciro Gomes traz um ponto que ainda não foi tornado público. A peça destaca as declarações do boquirroto Ciro Gomes, pré-candidato a presidência da República, “que extrapolam ‘em muito’ o seu direito à liberdade de expressão e manifestação do pensamento”.

Os advogados reclamam que há três meses Doria “vê seu nome e sua honra sendo enxovalhados” pelo ex-governador do Ceará. “Farsante”, “despreparado” e “engomadinho” foram algumas das ofensas dirigidas pelo pedetista ao tucano.

Além disso, para Ciro, o “farsante” Doria, ao chefiar a Embratur no governo Sarney, “saiu debaixo de muitas irregularidades e foi violentamente criticado por uma propaganda do turismo brasileiro com bundas de mulher na praia, estimulando claramente o turismo sexual”.

Oposição a Temer volta às ruas em Curitiba por “diretas já”

do Bem Paraná

Sindicatos, movimentos sociais e partidos de oposição ao governo Temer voltam às ruas hoje para pedir a saída do presidente e a realização de eleições diretas. Em Curitiba, a manifestação está programada para acontecer na esquina das ruas Monsenhor Celso com a XV de Novembro. A ideia é pressionar o Congresso a acatar a denúncia do procurador-geral da República, Rodrigo Janot contra Temer por corrupção, afastando o peemedebista do cargo, e, ao mesmo tempo, aprovar uma Proposta de Emenda Constitucional que convoque eleições gerais já para este ano.

“Nossa população é vítima de um modelo excludente, concentrador, injusto e para poucos, que promoveu um golpe para barrar os avanços sociais conquistados na última década com os governos do PT”, alega o presidente do partido no Estado, ex-deputado federal Dr Rosinha.

Leia Mais »

Temer intensifica troca de cargos por votos contra denúncia

O Globo

Na luta para se livrar da denúncia por corrupção passiva no plenário da Câmara, o presidente Michel Temer acentuou a velha prática fisiológica de trocar cargos por votos para permanecer no Planalto. Na tentativa de agradar a todos os partidos da base, o presidente vem recebendo parlamentares diariamente, ouvindo pleitos das legendas aliadas e mapeando a evolução dos infiéis. A destinação de verbas para as bases eleitorais de parlamentares foi vastamente usada nos bastidores durante a análise da denúncia na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara. Mas a negociação de cargos se escancarou nos últimos dias.

Cunha faz nova reunião com a PGR para tentar fechar delação premiada

Painel, Folha de S. Paulo

Advogados do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) fazem nesta semana uma nova rodada de negociações com a Procuradoria-Geral da República na tentativa de selar um acordo de delação para o peemedebista. Os investigadores têm jogado duro com Cunha. Na última reunião, disseram que o material era insuficiente e nem sequer ficaram com os anexos. Preso, ele reorganizou o arsenal, que tem foco no presidente Michel Temer e seus principais aliados no Planalto, para dar novo tiro.

A pedra no caminho de Eduardo Cunha tem nome e sobrenome: Lúcio Funaro. Logo no início das conversas a PGR avisou que só fecharia um acordo: ou o do peemedebista ou o de seu operador. Os procuradores têm alardeado que Funaro conseguiu juntar mais elementos contra Temer.

A expectativa é que a delação de Funaro seja homologada logo após o Supremo voltar do recesso do Judiciário, em agosto. As revelações do doleiro teriam potencial para desarranjar o apoio político a Temer no Congresso.

Greca regulamenta Uber e Cabify

do Bem Paraná

A Prefeitura de Curitiba autorizou o uso de aplicativos para o transporte de passageiros, como Uber e Cabify, na cidade. A medida está no Diário Oficial da Prefeitura de Curitiba publicado quarta-feira (19) no decreto 1302/2017, assinado pelo prefeito Rafael Greca.

Entre as medidas para a regulamentação, está a obrigatoriedade de que o serviço deve compartilhar várias informações sobre as corridas com a Prefeitura, além da exigência de que os motoristas tenham certidão negativa de antecedentes criminais.

Pelo texto, as empresas donas dos aplicativos deverão se cadastrar na prefeitura como Administradoras de Tecnologia em Transporte Compartilhado (ATCCs) e ter um escritório físico em Curitiba. Segundo o decreto, será estabelecido um “preço público” que deverá ser pago à prefeitura pela “exploração intensiva do viário urbano”. Os valores serão calculados de acordo com a distância percorrida. Os detalhes destes cálculos serão definidos em uma nova resolução da Secretaria de Finanças, que deve ser definida nos próximos dias.

Leia Mais »

Governo elevará imposto sobre gasolina, álcool e diesel

O Globo

Após um dia de negociações para fechar o decontingencimento do Orçamento, fontes da equipe econômica afirmaram que, ao contrário do que chegou a ser cogitado ao longo do dia, não haverá elevação do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) e da Cide (que incide sobre o setor de combustíveis). Com sérias dificuldades para fechar as contas de 2017, a equipe confirmou, porém, o aumento do PIS/Cofins sobre o diesel, a gasolina e o etanol, como havia antecipado a coluna de Míriam Leitão. O aumento terá alíquotas diferenciadas para cada combustível. A ideia, agora, é recorrer a receitas que não são tributárias, como taxas — mas a fonte não especificou que taxas seriam essas.

A medida é uma maneira de reforçar os cofres públicos e evitar que a equipe econômica tenha que fazer um contingenciamento adicional no Orçamento do ano ou mesmo alterar a meta fiscal, aumentando o tamanho do rombo previsto para o ano.

Uma fonte ligada à Presidência da República revelou que um dos argumentos para o aumento de tributos é o déficit da Previdência, estimado em mais de R$ 180 bilhões para este ano.

Richa anuncia R$ 2,8 milhões para obras no aeroporto de Pato Branco

O governador Beto Richa assinou nesta terça-feira (18) convênio com a prefeitura de Pato Branco para as obras de asfalto do aeroporto Juvenal Loureiro Cardoso no Sudoeste do Paraná. Serão investidos R$ 2,8 milhões pelo Estado e R$ 310 mil de contrapartida do município.

Entre as melhorias estão o recapeamento asfáltico e sinalização horizontal da pista de pouso e decolagem, da área de escape, do pátio de manobras e da pista de táxi do aeroporto. A licitação das obras para o aeroporto está sendo coordenada pela prefeitura e a previsão é que os serviços sejam iniciados ainda neste ano.

Paraná já pavimentou 3.828 ruas, diz Ratinho Junior


O secretário estadual do Desenvolvimento Urbano, Ratinho Junior, destacou que desde 2011 já foram pavimentadas 3.828 ruas e avenidas em todas as cidades do Paraná. “A pavimentação e o asfalto em novas ruas facilitam o transporte de grãos das regiões produtoras e ainda melhoram a qualidade de vida e a mobilidade da população”, disse em sua página no Facebook.

“Umas das maiores demandas da população é a pavimentação de vias urbanas. Em muitas cidades, as ruas ainda são de chão batido, ocasionando problemas de saúde devido a poeira e também problemas de mobilidade por causa da lama em dias de chuva. Atendemos a reivindicação dos prefeitos para a pavimentação, mas exigimos que juntamente com o asfalto, devem ser construídas calçadas”, completou.

O que está por trás da venda da Fnac para a Cultura

Lauro Jardim, O Globo

O mercado de livros foi surpreendido com a venda da Fnac Brasil (12 lojas) para a endividada Livraria Cultura, que desde o ano passado tem deixado de cumprir compromissos com as editoras — ou seja, o pagamento pelos livros vendidos.

Como se explica, então, o negócio?

A Fnac está botando R$ 150 milhões no negócio para sair com zero. Com esse dinheiro, a Cultura renegociará seus passivos com os bancos e cria a sinergia entre as duas operações para torná-las enxutas e rentáveis.

A dívida da Cultura com bancos é de cerca de R$ 60 milhões. Já a Fnac não tem dívidas com a banca. O dinheiro vai financiar o fluxo de caixa negativo das empresas, rompimento em contratos de aluguel e pagamento de impostos.

Infortúnios atrasam depoimento de braço direito de Cerveró

Radar On-Line, VEJA

A fase de Agosthilde Mônaco de Carvalho, homem de confiança de Nestor Cerveró, não é mesmo boa. Uma série de infortúnios têm atrasado o seu depoimento ao juiz Sergio Moro.

Na segunda-feira (17), um dia antes da data prevista para o interrogatório, o pai do delator faleceu. Por isso, Moro adiou seu depoimento para hoje.

Carvalho iria para Curitiba nesta manhã, mas o aeroporto Santos Dumont foi fechado devido ao mau tempo. A solução proposta? Interrogatório via Skype da Justiça Federal do Rio de Janeiro.

Siga o dinheiro

Editorial, Folha de S. Paulo

A experiência da administração pública demonstra à farta os riscos de estabelecer, em lei, uma fonte de verbas reservada a determinada atividade. Em torno de ambas prosperam, no mais das vezes, corporações, grupos de interesse e forças políticas dedicadas à perpetuação do mecanismo.

Veja-se o exemplo dos benefícios tributários à Zona Franca de Manaus, instituídos em caráter provisório já faz meio século; ou dos repasses obrigatórios da receita da União aos Estados e municípios, cujos critérios de repartição, embora alvo de críticas há décadas, permanecem quase inalterados.

Resistências semelhantes se notam em um curioso híbrido de entidade pública e privada que se desenvolveu no país a partir dos anos 1940 —trata-se, mais precisamente, de 141 delas, pertencentes ao que ficou conhecido como Sistema S.

Leia Mais »

Tu também, Alckmin?

O governador Geraldo Alckmin assinou a concessão de cinco aeroportos estaduais para a empresa de Oto Ribeiro, sobrinho da primeira-dama. Licitação limpa, certamente. Oto é filho de Ademar Ribeiro, irmão de Dona Lu Alckmin.

Boquinhas, mais boquinhas

É impressionante o aumento de sinecuras e prebendas em Brasília. Em 2003, Câmara e Senado empregavam 8.648 pessoas. O número de parlamentares não se alterou, mas dobrou o de servidores: 16.381. O surto de distribuição de boquinhas fez crescer o custo anual da folha da Câmara, em 2016, foi de R$4,3 bilhões, dos quais pouco mais da metade (R$2,7 bi) se referem a servidores ativos. No Senado a mesma farra. Funcionários custam ao contribuinte R$3,3 bilhões por ano. São R$1,6 bilhão para os da ativa e R$1,7 bilhão para os inativos.

‘Gleisi devia procurar álibis
para escapar da cadeia’

O jornalista Augusto Nunes disse nesta quarta-feira, 19, que a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) deveria estar procurando álibis “para escapar da cadeia” em vez de prestigiar e enaltecer ditaduras como o de Nicolas Maduro na Venezuela.

A força do agronegócio

Artigo de Marcello Richa

Quando era mais novo lembro-me de ouvir meu avô José Richa dizer que ignorar a agropecuária é desconhecer o Paraná. Na época entendia seu apreço pelo setor, uma vez que ele cresceu na área rural de Joaquim Távora, mas só fui realmente tomar dimensão da relevância e veracidade daquela frase conforme fiquei mais velho e tive a oportunidade de conhecer o estado em sua plenitude.

Os números em relação à importância do agronegócio para o Paraná ressaltam ainda mais a afirmação de meu avô. Atualmente 30% do Produto Interno Bruto (PIB) do estado são relativos à agropecuária, com um impacto relevante para a economia brasileira. Apenas para citar dois exemplos rápidos, somos o segundo maior produtor de grãos do Brasil, com 20,5% da produção nacional, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e o principal produtor e exportador de frango do país, com 31% do total.

Leia Mais »

PT deve perder controle
da APP-Sindicato

Ninguém duvida que a APP-Sindicato é o mais importante instrumento político que restou ao PT nativo depois da derrocada provocada pela Lava Jato. Pois, pois, e o PT está prestes a perdê-la. No dia 19 de setembro, 70 mil professores e servidores de 2,1 mil escolas da rede pública estadual vão escolher nova direção.

Hoje, são três as chapas concorrentes. Duas patrocinadas pela CUT-PT, que se dividiu. A do professor Hermes Leão, tutelado do grupo liderado por Marlei Fernandes, que defende o uso indiscriminado da APP como aparelho petista; e a do professor Paixão, também da CUT, mas que pretende dar a entidade caráter mais corporativo que político.

A grande novidade é Isabelle Pereira, uma professora que defende a APP-Sindicato como entidade de representação verdadeira dos interesses dos professores. Independente, sem vínculos ou subordinação a qualquer grupo político. Filha do ex-presidente da APP-Sindicato, o professor Eduardo Tavares Pereira, Isabele é professora há 18 anos e concursada há dez, e pretende “recuperar as conquistas da categoria”.

Leia Mais »